Clique e acesse a edição digital

A perda da fertilidade no decorrer da idade

Tempo de Leitura: 5 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

“Segundo algumas publicações nos Estados Unidos, o número de mulheres que têm seu primeiro filho ao redor dos 20 anos diminuiu um terço desde 1970, ao passo que, na casa dos 30 ou 40, quadriplicou neste período.”
O número de homens e mulheres que desejam ter filhos em uma idade mais avançada vêm aumentando nos últimos anos. Os motivos para isto acontecer são diversos. A intensa vida profissional da mulher visando o sucesso de sua carreira, a estabilidade financeira do casal ou o tardio desejo de ter filhos. Consequentemente, com isso, aumenta o interesse pelo efeito do envelhecimento na capacidade de ter filhos.
Arnaldo Cambiaghi, médico especialista em reprodução humana do Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia explica que “O ‘relógio biológico da reprodução’ não deve ser considerado um fato exclusivo da mulher e por isso, a idéia de apontar limitação da idade como um fenômeno só do sexo feminino representa, atualmente, uma das grandes injustiças da sociedade. Até há pouco tempo, a opinião dominante era: “culpe a mãe!”Entretanto os últimos estudos têm demonstrado que quanto mais velho for o pai, menor será a chance de gravidez.” É tempo de reconsiderar!
Nas últimas décadas um aumento de 20% de pais com idade superior a 35 anos e neste mesmo período mais homens entre 50 e 65 anos têm procurado os serviços médicos em medicina reprodutiva com o desejo de serem pais. Isto mostra que os homens também perdem a sua fertilidade, não com a mesma intensidade das mulheres, mas de uma forma mais lenta. Portanto, a perda da fertilidade é um fato inexorável para homens e mulheres, que pode ser administrado com cautela e ao contrário do que muitas pessoas acreditam a ciência médica não pode lutar contra a natureza e desfazer todos os efeitos do tempo, pode apenas ajudar em muitos casos.
A FERTILIDADE MASCULINA SE COMPROMETE APÓS OS 50 ANOS
Ainda se fala e publica pouco a respeito da queda de fertilidade do homem com o passar da idade, apesar de estar aumentando os relatos que comparam a fertilidade masculina no decorrer dos anos da vida. Alguns estudos demonstram este declínio progressivo da fertilidade após compararem o tempo de demora para conseguir a gestação e as taxas de aborto das mulheres com maridos mais velhos. Estes dados comprovam que a gravidez é mais fácil em homens mais jovens.
A relação da idade do homem com a fertilidade envolve muitos fatores. Dr. Cambiaghi afirma que o estudo das alterações do espermograma – exame básico que avalia a fertilidade do homem – com a evolução da idade têm sido inconclusivos. “Algumas publicações têm demonstrado diminuição de quase todos os parâmetros – concentração, volume, motilidade e morfológico, mas, outros contrariam estas afirmações. O IPGO estudou 479 homens com idade entre 25 e 65 anos. Ao redor de 25% foram homens com idade superior a 40 anos. Conclui-se com este estudo que o volume e a motilidade diminuem com o aumento da idade o que não ocorre com a concentração nem a morfologia”, explica o médico.
O especialista aconselha aos maridos de suas pacientes a procurem ter seus filhos antes dos 40 anos. “O ideal é que eles façam espermograma em qualquer fase da vida. Muitas alterações diagnosticadas precocemente podem impedir que o quadro se agrave com o passar dos anos. Doenças como varicocele ou anomalias cromossômicas como a microdeleção do cromossomo “Y”, podem determinar a queda progressiva do número de espermatozóides podendo chegar a zero (azoospermia) e o congelamento preventivo pode ser uma opção” aconselha Dr. Cambiaghi.
O IDEAL É QUE A MULHER ENGRAVIDE ANTES DOS 35 ANOS
A perda da fertilidade da mulher no decorrer da idade é supostamente conhecida por todos. Entretanto, Dr. Cambiaghi nos recorda que a menina na puberdade inicia as suas menstruações com cerca de 300 mil óvulos disponíveis nos seus ovários e a cada ciclo menstrual, para um óvulo que atinge a ovulação, mil são perdidos, fazendo que ao redor dos 50 anos dificilmente existam óvulos capazes de serem fecundados. “Dessa forma, a mulher se torna praticamente incapaz de engravidar com os próprios óvulos. É o fim do estoque de óvulos disponíveis para serem fertilizados, é o fim da ‘reserva ovariana'”, explica.
Existem alguns exames que podem avaliar de maneira precisa o potencial reprodutivo da mulher. Eles não garantem a longevidade reprodutiva, mas dão uma idéia desta capacidade. Porém o ideal é que a mulher procure engravidar antes dos 35 anos. “Se houver histórico familiar de menopausa precoce e ainda não puder engravidar, congele seus óvulos. Assim como se não houver perspectivas de um casamento em curto prazo, pense nesta possibilidade. Se estiver próxima a esta idade com uma vida conjugal estável e sem filhos, saiba que o melhor momento é agora. Não adie mais, pois a sua fertilidade não estará melhor nos próximos anos.”, recomenda Dr. Cambiaghi.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Dia da Mulher

Mamães do Brasil e do mundo parabéns pelo seu dia. Que essa data seja um momento de refletir sobre as conquistas do passado, e buscar

Leia Mais »

Problemas emocionais

Criar filhos saudáveis, competentes e felizes é o sonho cultivado por todo pai e por toda mãe. Mas como fazê-lo? Começando com o autoconhecimento e

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!