Clique e acesse a edição digital

Anemia na gestação pode antecipar o parto

Tempo de Leitura: 4 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Fatigue, stressful mixed race mature pregnant woman, freelance worker, designer or manager working remotely, sits at desk, taking break, having headache, holding glasses in hand, eyes closed

Uma das maiores preocupações da gestante é com a saúde do bebê.

Para garantir que o seu filho cresça no útero sem complicações é importante se cuidar.

A mulher precisa ficar atenta a todos os sintomas, algumas acreditam que tontura, queda de cabelo, dores de cabeça e nas pernas, falta de apetite é comum na gravidez, mas na verdade esses incômodos podem estar relacionados a anemia. Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que 65% das mulheres sofrem com anemia e boa parte dos casos ocorrem por causa de uma má alimentação.

De acordo com o Nutrólogo André Veiner, a anemia consiste na diminuição de células sanguíneas – que são responsáveis pelo transporte de oxigênio da mãe para o bebê. “A anemia é comum em gestantes após a 20ª semana de gestação, pois o sangue dilui. Essa condição também ocorre na amamentação”, afirma.

A anemia pode surgir por diversas causas. Existem alguns tipos de anemias que podem acometer a gestante. “Algumas mulheres já possuem uma deficiência na formação de hemoglobina, neste caso a anemia pode acentuar na gravidez. Outro problema é a falta de ácido fólico e vitamina B12 no organismo. Por isso, os médicos recomendam a ingestão de ácido fólico quando a mulher planeja uma gravidez”, explica o Dr. André.

A anemia também pode ter origem imunológica ou genética ou ser provocada pelo uso de medicamentos.

“A deficiência de ferro aumenta o risco de o bebê nascer com baixo peso e pode levar ao parto prematuro e a morte materna no caso de anemia grave”, alerta o Dr. André.

Alimentação

contra anemia

As gestantes que enfrentam problemas de anemia na gravidez apresentam uma redução de hemácias no organismo por conta de uma alimentação inadequada e sem vitaminas. “Algumas gestantes ficam com receio de engordar e não comem os alimentos que são responsáveis por manter o organismo em funcionamento. Mas, a mãe tem sempre que pensar na sua saúde e do bebê e não fazer dietas arriscadas”, ressalta o nutrólogo.

É importante que a gestante procure a orientação de um nutrólogo na gravidez para não cometer erros na alimentação. “O recomendado é que a alimentação da gestante seja equilibrada, com carboidratos, proteínas, gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas”, sugere o Dr. André.

Para evitar que anemia apareça na gravidez, é fundamental que a mãe não esqueça de comer ferro. “Ele pode ser encontrado em alimentos como carne vermelha, frango e peixe. E também em vegetais escuros, leguminosas e grãos”, frisa o especialista.

É importante procurar manter um equilíbrio entre esses alimentos, consumir ao mesmo tempo carnes e os vegetais.

Alimentos ricos em vitamina C como laranja, tangerina, maracujá, morango, caju, acerola, vitamina A que são tomate, cenoura, abóbora também ajudam a potencializar o ferro no organismo.

Se você é fã de chás, controle o seu consumo na gestação. Chás, café, refrigerantes, farelos crus, alimentos ricos em cálcio como leite e seus derivados podem prejudicar a absorção do ferro. Portanto, procure evitar esses alimentos.

A recomendação é que a gestante consuma 30 miligramas diárias de ferro. “Exames podem apontar se a gestante está com anemia ou não. É recomendado que esses testes sejam feitos ainda no pré-natal. Dessa forma, o médico pode ficar de olho e saber se a gestante está consumindo ou não a quantidade suficiente de ferro”, esclarece o Dr. André.

Se a futura mãe estiver com dificuldade de absorver o ferro, o médico pode aconselhar o uso de suplementos durante a gestação e na amamentação.

Se você acredita que está anêmica, não deixe de procurar um médico para que seja feito um exame para avaliar o nível de hemoglobinas.

A anemia é comum em gestantes após a 20ª semana de gestação, pois o sangue dilui. Essa condição também ocorrer na amamentação.

Fonte: Dr.André Veinert, nutrólogo

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

A esquizofrenia na infância

A esquizofrenia é uma enfermidade médica que causa pensamentos e sentimentos estranhos e um comportamento pouco usual. É uma enfermidade psiquiátrica pouco comum em crianças,

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!