Clique e acesse a edição digital

Benefícios da amamentação.

Tempo de Leitura: 3 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Close-up of baby hand on mother's breast. Mother breastfeeding baby. Concept of motherhood and breastfeeding.

A amamentação pode ser um período de grandes dificuldades que vão desde a dor para amamentar a exaustão.

Apesar das adversidades, felizmente, está cada vez mais bem difundido entre as mulheres os benefícios da amamentação exclusiva até os 6 meses de vida de um recém-nascido, o que ajuda e muito a manutenção dessa prática vital. Ainda assim, algumas mulheres não conseguem amamentar por muito tempo e as duas principais causas são: a impressão errônea que o leite materno não é suficiente para o crescimento do bebê e a dor para amamentar.

Benefícios para o bebê:

Vários componentes do leite humano estimulam o crescimento e a maturidade do sistema gastrointestinal, diminuindo o risco de infecções intestinais graves.

O leite humano contém uma variedade de agentes com atividade antimicrobiana que protegem o bebê contra vírus e bactérias.

O leite humano em comparação com fórmula diminui o risco de doenças agudas durante o período de amamentação como: diarreias, doenças respiratórias, otites (dor de ouvido) e infecções urinárias.

A amamentação apresenta também benefícios em longo prazo. Embora com evidências ainda inconclusivas, o leite materno oferece menor risco de doenças agudas e crônicas e melhor desenvolvimento neurológico mesmo após amamentação. Há relatos de associações entre a duração da amamentação e redução na incidência de obesidade, câncer (leucemia e linfomas), doenças cardiovasculares e certas condições alérgicas na vida adulta.

Parece ainda haver um efeito analgésico da amamentação, o que pode ser devido à ligação íntima da mãe com o bebê. Crianças amamentadas com leite materno têm menos estresse durante procedimentos dolorosos do que crianças alimentadas com fórmulas.

Benefícios maternos:

Auxilia no controle do sangramento pós-parto imediato pela liberação de ocitocina.

Redução do estresse materno. Alguns estudos mostram que peptídeos neuroendócrinos, ocitocina e prolactina, são componentes importantes do eixo de tensão e tem um impacto positivo sobre o comportamento social, incluindo a ligação da mãe com o bebê. Menores taxas de abuso e negligência são observadas nas mães que amamentam.

A grande contribuição da amamentação para perda de peso e retorno ao peso pré-gravídico.

Apesar de não ser considerado um bom método contraceptivo, a amamentação prolonga o tempo da mulher sem ovular e diminui consequentemente a chance de uma gravidez precoce indesejada.

Redução no risco de câncer de mama e de ovário:

Alguns estudos demonstram que a amamentação diminui as chances de osteoporose após a menopausa.

Menor incidência de doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes e obesidade.

Os benefícios econômicos são ainda mais claros. Uma família chega a poupar algo ao redor de mil dólares por ano por não precisar comprar leites artificiais. Isso sem contar a economia com os gastos com médicos, remédios e ausências no trabalho pelo efeito protetor do leite materno.

Fonte: Dr. Wagner Hernandez CRM 116.139 – site: (www.wagnerhernandez.com.br)

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

CUIDADO COM A GRIPE NA GESTAÇÃO

De acordo com a otorrinolaringologista da Clínica de Especialidades Integradas Angela Shimuta (CRM-94463-SP), o sistema imunológico da gestante fica vulnerável a diversas infecções incluindo gripes

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!