Clique e acesse a edição digital

Circular Cervical

Tempo de Leitura: 3 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
A doctor holds the umbilical cord of a newborn child with clips and the father cuts it with scissors in the maternity home, The birth of the baby.The concept of health care.

Cordão umbilical ao redor do pescoço do bebê. É tão perigoso quanto dizem?

O cordão ao redor do pescoço do bebê, também conhecido como circular cervical, é um achado extremamente comum no momento do parto, podendo estar presente em 15 a 30% dos nascimentos. Geralmente é motivo de grande preocupação entre os futuros pais e costuma ser tema de questões polêmicas como a necessidade ou não de se antecipar o parto e da obrigatoriedade de se realizar, nesses casos, a cesariana.

A circular cervical pode ser única ou múltipla e pode estar frouxa, justa ou apertada. Na maioria dos casos ela é única e frouxa. Ela acontece de forma aleatória, mas acredita-se que está relacionada à grande movimentação dos fetos e especialmente em cordões umbilicais mais longos.

Apesar de relatos de óbitos fetais pela presença da volta de cordão no pescoço, os estudos científicos demonstram que o achado da circular cervical não aumenta o risco de morte do feto nem antes, nem durante o parto. Nos raríssimos casos em que infelizmente acontecem complicações, elas costumam ocorrer na presença de circulares múltiplas e/ou apertadas. Os possíveis mecanismos associados a essas complicações fetais estão relacionados à diminuição do fluxo de sangue para o cérebro e a própria compressão do cordão junto ao pescoço impedindo a chegada de sangue oxigenado ao resto do corpo.

O diagnóstico ante natal pode ser feito através de ultrassom, especialmente quando utilizado o modo doppler. Quanto mais próximo do parto, maior a chance de acertar o diagnóstico, pois boas partes das circulares cervicais diagnosticadas muito antes do parto acabam desaparecendo até o momento do nascimento. Por ser considerado um achado normal durante a gravidez, à presença de circular de cordão não deve, nem costuma ser descrita nos laudos de ultrassom.

Durante o trabalho de parto nos casos, por exemplo, das circulares múltiplas e/ou apertadas, as possíveis alterações na vitalidade do feto que eventualmente podem acontecer, em geral são detectadas pela monitorização dos batimentos cardíacos fetais, permitindo ao obstetra a qualquer momento mudar a via de parto caso seja necessário para preservar o bem estar fetal.

Saber se o cordão está ao redor do pescoço do bebê não contribui em nada e só costuma deixar pais e obstetras extremamente preocupados e ansiosos. Por ser extremamente comum e comprovadamente não aumentar estatisticamente os riscos para o bebê, seu achado deve ser desprezado. Frente a tudo isso, podemos concluir que pela simples presença de uma circular cervical, o nascimento do bebê não deve ser antecipado e a via de parto não precisa ser a cesariana como muito se escuta falar por aí.

Fonte: Dr. Wagner Hernandez CRM 116.139 – www.wagnerhernandez.com.br

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Quarentena: mitos e verdades

Quarentena ou resguardo são nomes populares para designar o puerpério, etapa da vida da mamãe que começa depois do nascimento do bebê. Além dos cuidados

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!