Clique e acesse a edição digital

Cosméticos infantis: o uso de alguns produtos pode representar riscos aos pequenos

Tempo de Leitura: 4 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
pexels-eren-li-7169368

O dermatologista Anderson Bertolini (CRM- 107976), diretor médico da Clínica Bertolini, explica que todos os produtos infantis como xampu, creme hidratante e gel para cabelo, entre outros, devem passar por testes que medem a segurança do consumidor – como o potencial de irritação da pele e de provocar alergias. “Como a pele das crianças é mais fina, mais sensível, e possui distribuição mais densa de glândulas, os produtos para elas devem conter menos substâncias químicas capazes de causar irritação e futuras reações alérgicas. O pH da pele é ácido, em torno de 5,5, e este ‘manto ácido’ é o responsável pelo equilíbrio da flora normal da pele e sua proteção”, diz o médico.
Deve-se ter cuidado, por exemplo, com o sabonete. Um sabonete considerado neutro pode ter o pH de até 7; já o pH fisiológico da pele é de 5,5. Por isso, o uso de um sabonete considerado neutro poderia levar a uma alteração do pH da pele e deixá-la mais suscetível a infecções e irritações. “Antes de comprar qualquer produto, os pais devem observar se ele é liberado pela Anvisa. Se provém de um fabricante confiável e se é adequado à idade da criança”, orienta Bertolini.
É importante, também, buscar orientação com o pediatra, uma vez que todos estes produtos são de livre acesso ao consumidor e podem gerar uma certa confusão quanto à real necessidade do seu uso na criança. Por exemplo: por que usar um hidratante no bebê se sua pele não está ressecada? Além disso, quanto mais precoce a exposição a diferentes produtos, maior a chance de sensibilização.
Geralmente os pais partem do princípio de que se o produto é infantil, deve conter menos substâncias alergênicas e sensibilizantes. No entanto, não é bem assim. Substâncias como o timerosal e o PABA, por exemplo, muito utilizadas em produtos infantis há alguns anos, foram retirados do mercado devido ao seu potencial alergênico. “A utilização cada vez mais precoce de cosméticos infantis como maquiagens e esmaltes têm aumentado consideravelmente a ocorrência de dermatites de contato, principalmente nas meninas”, alerta o dermatologista.
Como não é possível prever se a criança é ou não alérgica a determinado produto, deve-se ter bom senso. “Infelizmente, muitas vezes, somente depois de várias exposições à substância alergênica é que ocorrem as reações”, completa o médico.
Saiba como proceder ao comprar e usar cada produto
Maquiagens Infantis
Um requisito essencial para a maquiagem infantil é ter baixo poder de fixação e ser facilmente removida da pele com água. “Além disso, a Anvisa permite que as maquiagens contenham substâncias que possuam gosto ruim (amargo) para evitar que a criança leve o produto à boca”, conta Anderson Bertolini.
Xampus e Condicionadores Infantis
Cabelo de criança também merece cuidado especial. Para isso, lave-o com um xampu infantil a fim de limpá-lo e tirar-lhe os resíduos. Caso seja necessário o uso de condicionador, o produto deve ser aplicado por um adulto para que não corra o risco de excessos de creme nos cabelos.
Sabonetes
Crianças devem usar sabonetes infantis, mais apropriados à sua pele delicada. Bertolini avisa que, em caso de contato com os olhos, os produtos devem ser imediatamente retirados, enxaguando-se o rosto e os cabelos das crianças. “Em crianças alérgicas, os cuidados no uso desses produtos devem ser redobrados”, diz o médico.
Protetores Solares
É importante o uso do protetor solar diariamente nas crianças para se evitar queimaduras solares. Mas atenção, antes de aplicar verifique o fator de proteção solar (FPS) do produto a ser utilizado nas crianças. Ele deve ser no mínimo 15, de acordo com o fototipo de pele ou conforme recomendação médica. Quanto maior o valor de FPS do produto, maior a proteção proporcionada.
Esmaltes Infantis
Esmaltes permitidos para crianças são aqueles à base de água e que saem sem necessidade do uso de acetona ou removedor. Por não possuírem solvente, o cheiro dos esmaltes infantis é bem diferente do presente nos esmaltes para adultos. O rótulo deve possuir orientações e advertências de uso.
Batons e brilhos labiais
Os batons e brilhos labiais devem colorir os lábios temporariamente. Como nos demais produtos infantis, a fórmula deve ser composta por ingredientes seguros. “Antes de comercializar esses produtos, a empresa deve comprovar a segurança de cada tonalidade junto à Anvisa”, alerta o dermatologista.
Fixadores de cabelos
Os fixadores de cabelo infantis podem ser coloridos, perfumados, ter fotoprotetor e efeito luminoso. No ato do registro, devem ser apresentados testes que comprovem a sua segurança. São indicados para crianças a partir de três anos de idade e devem ser aplicados exclusivamente por um adulto.

Fonte – Dermatologista Anderson Bertolini (CRM- 107976), diretor médico da Clínica Bertolini.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Gravidez de Gêmeos

Temos observado um aumento da incidência de nascimento de gêmeos. Isto reflete uma mudança de comportamento da sociedade. A mulher conquistando seu espaço no campo

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!