Clique e acesse a edição digital

CRIANÇAS QUE RESPIRAM PELA BOCA: DESCUBRA COMO TRATAR

Tempo de Leitura: 3 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

De acordo com a fonoaudióloga da Clínica de Especialidade Integrada, Ana Paula Bautzer, a respiração só pela boca não é doença, mas precisa ser tratada. Crianças que não respiram pelo nariz podem apresentar dificuldades de desenvolvimento. “O cérebro recebe menor quantidade de oxigênio, o que prejudica a capacidade de atenção e consequentemente o rendimento escolar e atenção a atividades podem diminuir. Ao respirar pela boca, todas as impurezas, não são filtradas e penetram mais facilmente nas vias áreas da criança”, explica a fonoaudióloga.
É possível identificar a respiração pela boca na criança?
Os pais podem notar a síndrome da respiração bucal (SRB) já nos primeiros anos de vida. As crianças que ficam por um tempo prolongado com a boca aberta, apresentam uma facilidade maior para roncar, babam durante o sono e podem ter dificuldades na hora de se alimentar.
“As causas desse problema podem ser orgânicas e/ou funcionais associados a quadros de rinite, sinusite, alergias respiratórias ou também por desvios de septo, adenóides hipertróficas, etc, ou seja qualquer quadro que possa atingir as vias aéreas superiores e serem tratados por Otorrinolaringologista”, alerta a fonoaudióloga, Ana Paula Bautzer.
Os pais devem ficar atentos a esses sintomas e notar quando o seu filho começar a respirar pela a boca e não pelo o nariz que é o correto.
“As crianças que passam anos com a SRB podem apresentar alterações de partes duras da face como mandíbula, maxila e dentes”, ressalta a fonoaudióloga.
Algumas delas podem apresentar dificuldade nas funções de deglutição, mastigação e fala. O fato de respirar pela boca também afeta a musculatura e crescimento facial.
Tratamento
Para tratar essa síndrome será necessário o acompanhamento de diversos profissionais da saúde. O pediatra, alergista, ortorrinolaringologista, ortodontista e fonoaudiólogo que irão avaliar o caso e optar pelo melhor tratamento para corrigir a SRB. A duração do tratamento depende de cada caso, assim como a indicação de aparelhos ortodônticos, cirurgia e acompanhamento terapêutico com fonoaudiólogo.
“A Fonoaudiologia tem como um de seus objetivos o restabelecimento das funções respiratórias, mastigatórias, visando o equilíbrio miofuncional, e também a fala. É importante interceptar a presença da respiração oral com o intuito de encaminhar o paciente para o tratamento multidisciplinar”, recomenda a fonoaudióloga, Ana Paula Bautzer.
Pais prestem atenção no seu filho
A mamãe e o papai devem perceber os pequenos detalhes da SRB, esses distúrbios interferem diretamente no desenvolvimento e na qualidade de vida do seu filho. Conheça alguns sinais e saiba identificá-los no seu filho para evitar futuros transtornos:
-Observe se seu filho consegue fazer as atividades do dia-a-dia com a boca fechada.
– Note se durante o sono ele ronca muito alto ou se baba no travesseiro. Escute a sua respiração e verifique se é tranqüila e constante.
– Caso você perceba que ele fica o tempo inteiro de boca aberta, se acumula saliva excessiva na boca ou se apresenta alterações da respiração durante o sono ou atividade de vida diária, procure ajuda de um profissional.
– O tratamento mais adequado é realizado pelo atendimento multidisciplinar como o otorrinolaringologista, o fonoaudiólogo e o ortodontista.

Fonte- Fonoaudióloga da Clínica de Especialidade Integrada, Ana Paula Bautzer

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Cuidados no pós-parto

O puerpério, ou pós-parto, é o período que se inicia após a dequitação (saída da placenta) e termina com a primeira ovulação da mulher. A

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!