Clique e acesse a edição digital

Meu bebê vai à escola/creche. E agora?

Tempo de Leitura: 5 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
vista-frontal-do-lindo-irmao-e-irma-bebe

Fatores importantes que os pais precisam avaliar sobre escolha da escola e processo de adaptação

Conforme a criança vai crescendo ela necessita de uma rotina e estímulos mais estruturados para conviver, explorar ambientes e o mundo a sua volta. Aumenta o desejo e curiosidade pelos sons, pelo sentir, experimentar, pelas interações e novas formas de movimento. Por isso, se a energia da criança não é gasta com equilíbrio acaba atrapalhando o seu desenvolvimento e pode sim causar desajustes em seu comportamento.

É neste momento que muitos pais começam a busca por escolas, por isso, conhecer as características de personalidade do seu filho é um fator importante para definir a metodologia mais adequada a educação de um filho. A sugestão é levar a criança durante essas visitas e perceber suas reações, gestos, expressões e comportamento nos ambientes da escola. E isso também é válido para bebês que tenham apenas alguns meses de vida.

Antes de fechar com alguma escola, faça visitas em várias instituições escolares e avalie os prós e contras nas seguintes questões: segurança, atendimento na recepção, limpeza geral, ambiente para sono e higiene, alimentação, cuidados que o bebê irá receber, analise os espaços externos para brincar, se a comunicação é clara entre gestão, professores e família, analise o número de professores por sala, quais estímulos são oferecidos diariamente e a rotina que terá no dia a dia. A pergunta primordial para pensar em deixar seu filho em determinada escola é saber se os professores que irão atuar com seu bebê sejam formados em pedagogia e tenham treinamento para trabalhar com bebês. A educação de seu filho precisa ser priorizada em excelência e não focada apenas aos cuidados.

Para tornar o processo de adaptação escolar mais tranquilo, sugiro que o bebê conviva com outras pessoas e crianças antes de iniciar o processo de escolarização. Participe junto a criança de alguma atividade em grupo, seja natação, espaços do brincar de forma dirigida, aula de artes, musicalização etc. Esse contato mais próximo e interativo com o bebê, bem como outras mães e profissionais, geram mais confiança em sua maternidade, e consequentemente, para o bebê.

No entanto, durante a adaptação é preciso que os pais estejam atentos a alguns cuidados:

• A presença de um dos pais é fundamental para gerar confiança e segurança ao bebê. Estejam abertos a ouvir todas as orientações da escola. Aproveite este momento para observar os profissionais e a rotina da escola. Tire todas as dúvidas!

• A linguagem corporal materna pode passar tranquilidade ou desconforto para o bebê, esteja atenta. Por isso, evite no momento da entrega, agarrar o bebê em demasia e com os braços cruzados no colo ou quando sair do ambiente evite demorar, isso prejudica adaptação e demonstra insegurança e dificuldade da mãe no desvinculo, com isso o bebê pode chorar ao sentir essa insegurança.

• Você leva seu bebê à escola e observa que ele chora ao ir ao colo de determinado profissional? Calma, antes de julgar observe! Isso pode ocorrer por vários fatores: tom de voz do professor; não receber atenção exclusiva do professor; (a demanda varia de 4 a 8 crianças por professor); até mesmo pela forma que o bebê é tocado. E não quer dizer que seja por maus tratos.

• O tempo para a adaptação pode variar de acordo com a personalidade da criança e a forma como a escola conduz o processo. Geralmente, pode durar alguns dias a um mês. Em casos mais raros pode durar meses e há a necessidade de orientar os pais devido a rotina disfuncional da família em casa.

Quanto maior o bebê, mais fácil será sua adaptação escolar? A resposta é não! Isso é Mito. O que torna a adaptação tranquila em primeiro lugar é o vínculo do bebê construído com a família, e posteriormente, com a escola, os professores e os pais irão lidar com este processo. Contudo, o que torna mais fácil a adaptação escolar para crianças acima de 2 anos é a sua capacidade de verbalizar e reagir mais diante as suas insatisfações.

Portanto, a adaptação escolar é um processo gradual e individual, é importante o trabalho em conjunto para tornar essa transição o mais suave possível para ambos. Logo, mantenha uma comunicação aberta junto à escola, faça visitas antes do início oficial das aulas, conheça os profissionais, bem como rotinas da mesma que contribui e muito para o sucesso dessa fase. Isso ajuda a diminuir a expectativa e a ansiedade tanto da criança quanto a dos pais.

Evelyn de Paula Pereira
Evelyn de Paula Pereira
Educadora física estudiosa sobre assuntos diversos que compõem o desenvolvimento psicomotor infantil, comportamento e parentalidade.
Professora de Educação Física
Especialista em Psicomotricidade Clínica/ Educativa
Coautora do livro Psicomotricidade da gestação à melhor idade
evelyn.corpoematividade@gmail.com.br
@evelyn.corpoematividade
Blog: www.corpoematividade.com.br
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Convidando o bebê a virar

Acupuntura apresenta a técnica da moxabustão que ajuda a mudar a posição do bebê na barriga da mãe Durante muito tempo temeu-se fazer acupuntura em

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!