Clique e acesse a edição digital

O lamento que fala: desvendando o choro do bebê

Tempo de Leitura: 3 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
A vertical shot of a Caucasian dad holding his crying baby, and getting ready to change diapers.

O choro dos bebês é uma linguagem primordial, uma forma de comunicação que transcende palavras e requer sensibilidade para decifrá-la.

Para os pais, o choro de um filho é mais do que apenas um sinal de desconforto físico; é uma janela para as necessidades emocionais e físicas dele, uma forma de expressão que pode transmitir uma variedade de mensagens. Inicialmente, o choro de um recém-nascido pode ser um sinal de fome, dor, frio, calor ou desconforto físico. Não tendo fundamentação emocional, sendo devido a estímulos fisiológicos e ambientais, uma resposta não condicionada. Os pais aprendem a reconhecer e responder a esses sinais básicos, alimentando, trocando fraldas, acalentando e confortando seus filhos.

No entanto, em torno do terceiro mês de vida a criança aprende que o choro é uma maneira de obter atenção, tornando-se uma manifestação condicionada. Indo esse além das necessidades básicas; pode ser uma manifestação de solidão, medo, ansiedade ou frustração. Para os pais, o choro pode desencadear uma série de emoções complexas. Pode despertar um instinto protetor, um desejo ardente de confortar e acalmar o filho. Pode também gerar sentimentos de ansiedade e impotência, especialmente quando lutam para identificar a causa do choro ou para acalmar o bebê. Podendo ser um teste de resistência para a família, exigindo paciência, compreensão e empatia. Desafiando suas habilidades de comunicação, forçando-os a aprender a linguagem única do seu filho e a interpretar suas necessidades de forma precisa.

No entanto, o choro também pode ser uma fonte de conexão profunda entre pais e filhos. À medida que os pais aprendem a responder aos seus sinais, desenvolvem um vínculo de confiança e segurança mútua. Eles aprendem a ler os sinais não verbais do seu filho, a reconhecer seus padrões de choro e a responder com amor e cuidado. À medida que os bebês crescem e desenvolvem habilidades de comunicação mais sofisticadas, o choro pode se transformar em outras formas de expressão, como sorrisos, risos e palavras.

No entanto, o significado do choro para os pais permanece fundamentalmente o mesmo: é uma linguagem de amor, uma forma de comunicação que transcende as barreiras do tempo e do espaço, ligando pais e filhos em um vínculo indissolúvel de cuidado e carinho.

Isis Badini
Osteopata DO MRO Br | Fisioterapeuta
Pós-Graduada em Traumato-Ortopedia
Professora Assistente do Instituto Brasileiro de Osteopatia | IBO
@isis_rbadini
imrbadini@gmail.com
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Trabalho e Maternidade

Seu bebê nasceu! Você e ele viveram um período de grande envolvimento, mas a licença-maternidade acabou e agora é preciso retornar ao trabalho. Como conciliar

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!