Clique e acesse a edição digital

Prevenção de acidentes na infância

Tempo de Leitura: 5 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
beautiful little blonde girl walking in the Park

A chegada de um bebê é um evento muito aguardado e que mexe com a vida da família toda.

Da mesma maneira que cuidamos de preparativos como o quarto e o enxoval, essa nova fase vai exigir alguns cuidados para a prevenção de acidentes.

Cada fase do bebê vai exigir cuidados diversos, e cada vez maiores!

O primeiro item essencial de uma casa que vai receber um bebê, é a tela de proteção. Ela deve estar presente em todas as janelas e sacadas.

O transporte do bebê em automóvel deve sempre ser em cadeirinha apropriada, fixada com utilização de cinto de segurança. Mesmo para trajetos curtos, nunca transporte bebê ou criança no colo. Nos primeiros meses, a cadeirinha deve ser fixada voltada para o vidro traseiro do carro, e de preferência, com adulto sentado ao lado. De acordo com a orientação do fabricante, conforme atingir determinado peso, aí sim, a cadeirinha deverá ser fixada no sentido habitual no banco, voltada para o vidro dianteiro.

Nunca coloque o bebê para dormir de bruços! Essa posição aumenta a possibilidade de morte súbita do lactente. Nos primeiros meses de vida, não deixar lençol ou manta soltos, pois podem cair sobre o rosto do bebê e provocar sufocamento quando ele for inspirar. Nunca colocar o bebê para dormir na cama com os pais! Caso vocês ainda estiverem inseguros, reservem um espaço no quarto para colocar o berço.

Ao utilizar bebê conforto, sempre utilize o cinto para deixá-lo preso. Caso precise se afastar do bebê, não o deixe sobre superfícies elevadas, como mesas, cadeiras ou balcões. Com a movimentação do bebê (principalmente conforme vai crescendo e ficando mais pesado), o bebê conforto pode tombar e machucar a criança. Nessa situação o correto é apoiá-lo no chão. Da mesma maneira, nunca deixe o bebê sozinho sobre o trocador ou dormindo sobre a cama (ainda que cercado de travesseiros).

Os acidentes acontecem, mas podemos prevenir a maioria deles com cuidados simples.

Com o passar dos meses, o bebê vai adquirindo habilidades e os nossos cuidados devem ser ampliados.

Por volta de oito ou nove meses, a maioria dos bebês começam a engatinhar. Com isso, aumenta a sua área de “ação”. Nessa fase, precisamos olhar atentamente a casa, sob a perspectiva do bebê. Eu costumo sugerir que os pais façam um passeio pela casa, de preferência rastejando! Isso mesmo! Somente dessa forma vão poder observar as coisas do ângulo de visão do bebê. Cobrir tomadas, evitar vasos com terra na altura do chão, tentar prender fios de tv ou computador que possam estar pendurados. O banheiro deve ficar sempre com a porta fechada e mesmo assim, com a tampa do vaso abaixada. Remédios e produtos de limpeza, sempre devem ser guardados em prateleiras altas.

Com o aperfeiçoamento do engatinhar, uma bobeada e o bebê some do nosso alcance de visão.

A cozinha é um dos ambientes mais perigosos, e a porta de acesso deve estar sempre fechada!

Acidentes com queimaduras das palmas das mãos em fornos ligados, são muito mais frequentes do que podemos imaginar. Gavetas com facas ou utensílios pontiagudos devem ser colocadas em lugar inacessível ao bebê.

Ao passar roupa, atenção para não deixar o fio do ferro pendurado, e ainda mais ao terminar o serviço, guardando o ferro que ainda está quente em um outro cômodo fechado.

Uma das situações mais temidas é o engasgo em bebês. Apesar de muito perigosas, são bastante frequentes. Saber como agir nessa situação pode significar muito, evitando quadros importantes e graves, que podem deixar sequela e até mesmo levar à morte. Em caso de engasgo do bebê, primeiramente inspecionar a boca dele, para ver se não tem algum objeto ou pedaço de alimento que possa estar causando o quadro. Em caso negativo, apoiar o bebê de bruços em um dos seus braços, com a cabe inclinada para baixo. Com a outra mão, tapote vigorosamente as costas do bebê, com o objetivo de desengasgar. Esses procedimentos devem ser feitos de maneira ágil, para não haver perda de tempo. Em caso de sucesso na manobra, o bebê vai chorar e a cor vai voltando rapidamente. Do contrário, ligue urgente para o serviço do SAMU, para obter socorro.

Crianças maiores e adolescentes também podem ter quadros de engasgo, que geralmente são devido a pedaços de alimento, em geral, carne. Nessa situação, costumam sinalizar apontando para a garganta, e com grande aflição por não conseguir respirar. Para esses casos, coloque-se em pé atrás da criança, encostando o seu peito nas costas dela. Abrace-a passando os braços na altura do final das costelas, e faça um movimento firme e forte de prensa, com o objetivo de que o pedaço impactado se desloque e a criança volte a respirar normalmente. Em caso de dificuldade, ligue para o SAMU!

Fonte: Dra. Cláudia G F Troccoli Menezes, CRM- SP 69769, Pediatra e Gastropediatra que atende no consultório Cuidar, em São Paulo – www.cuidarpediatria.com.br.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Dermatite atópica

Estamos em outubro, o mês das crianças, então vamos falar da doença dermatológica que mais afeta os pequenos. O tema hoje é dermatite atópica, alguns

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!