Clique e acesse a edição digital

Tudo bem passar meses sem menstruar após o parto?

Tempo de Leitura: 3 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Woman obstetrician gynecologist showing patient photograph of ultrasound examination of fetus on digital tablet. In vitro fertilization concept

Sabe o que me causa muita surpresa? Mulheres muito, muito, muito preocupadas com a menstruação não ter descido mesmo meses após o parto. Claro, tudo bem se preocupar. Todo mundo tem o direito de se cuidar. O que me surpreende mesmo é o fato de as mulheres não serem orientadas quanto a isso durante o pré-natal ou até mesmo na consulta do pós-parto.

Porque, convenhamos, uma pessoa leiga não tem obrigação de saber tudo a respeito sobre gestação, parto e pós-parto. Mas, com certeza, o médico responsável por acompanhar estes momentos tem o dever de esclarecer tudo isso e mais um pouco, não?

Mas graças a Tim Berners-Lee, o criador da World Wide Web (www), existe a internet para dar conta de boa parte do que estas mulheres não receberam de informação do seu acompanhante médico. E bora lá…

Primeira menstruação após o parto

  • O sangue que a mulher expele após o nascimento do bebê (independente se natural ou cesáreo) não é menstruação. Este sangue revestia o útero durante a gestação. Conforme o órgão vai voltando ao tamanho normal, o sangue é eliminado. O processo dura, em média, de 15 a 45 dias. É possível que a mulher sinta cólicas neste período.
  • Nenhuma mulher é igual à outra, bem como seu padrão menstrual;
  • É normal a menstruação demorar a vir após o nascimento do filho se a mulher amamenta;
  • Mulheres que amamentam em livre demanda tendem a demorar mais a ter a primeira menstruação pós-parto;
  • Geralmente, logo após o bebê passar a mamar menos (dormir mais à noite, fizer a introdução alimentar, aumentar os intervalos entre as mamadas) as chances da primeira menstruação pós-parto acontecer aumentam;
  • Mulheres que não amamentam costumam voltar a menstruar mais rápido, algo entorno de 1 mês após o parto, mas pode acontecer depois também, lá pelos 3 meses.

Sabe o que isso significa? Significa que o nosso organismo foi pensado para amamentar em livre demanda. Porque quando isso ocorre, ele adia a ideia de mandar “proposta” de outro rebento. Não estou dizendo que a mulher lactante não engravida. Tudo pode acontecer. Logo, caso não queiram emendar um filho no outro como eu fiz, previnam-se. Aleitamento materno não é método anticoncepcional. Mas é bonito de ver como a natureza pensa em detalhes. Algo do tipo “se a mulher está amamentando, ela tem um bebê (independente da idade), logo não preciso mandar outro agora”. Mas como disse, às vezes mesmo amamentando pode acontecer.

Preciso dizer também que acho maravilhoso mulheres buscarem junto a outras mulheres informações e apoio necessários para vivenciarem o puerpério com mais paz. Por outro lado, se algo está muito fora do que parece normal, é importante que procurem ajuda especializada. Pode estar tudo okay, mas também pode haver algo de errado. Na dúvida, melhor investigar. Conteúdo autorizado para reprodução na Revista Materlife com a fonte retida pelo publicador. Divulgado por: Jéssica Macedo, autora do Blog Me Sinto Grávida.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

10 mitos sobre o glúten

A dieta livre de glúten ganhou as manchetes das revistas e virou tendência quando muitos famosos começaram a revelar que eram adeptos a este método

Leia Mais »

PILATES NA GRAVIDEZ

“Muitas mulheres acreditam ter o Pilates como uma das melhores atividades para essa fase. E elas não deixam de estarem certas, pois além de ser

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!