Clique e acesse a edição digital

A importância do brincar e da participação familiar para o desenvolvimento infantil

Tempo de Leitura: 3 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Transgender Family With Baby Playing Game With Colourful Toys In Lounge At Home

O brincar é uma importante forma de comunicação. O brinquedo se torna um instrumento de exploração do mundo pela criança e também de desenvolvimento da mesma. O brincar geralmente se inicia com os pais, o que reforça os laços afetivos entre os envolvidos. A interação entre as crianças e os brinquedos cria possibilidades para que elas se desenvolvam, pois, as atividades lúdicas são importantes para seu desenvolvimento influenciando a forma como elas assimilam o que está ao seu redor, e quando o cuidador brincar ou incentiva uma brincadeira, permite que a criança explore o meio onde vive.

No brincar em família, cria-se espaço de aprendizagem e crescimento infantil, podendo ser explorado enquanto recurso educativo, direcionado não somente à criança, mas também à família. Reforça-se a necessidade de proporcionar à criança experiências de construção familiar pautadas no brincar. Durante a brincadeira a criança encontra um ambiente propício para desenvolver a atenção e concentração, relações de confiança e afeto, aumenta a autoestima e o senso de partilha. Na perspectiva da criança, brinca-se pelo prazer de brincar, sendo ela a protagonista na construção do conhecimento.

São as interações entre a criança e o contexto, mediadas pelo cuidador, que proporcionam a aprendizagem da linguagem e promovem o desenvolvimento das demais habilidades. É por meio da linguagem que a criança aprende a se expressar, explicar suas reações e compreender as dos demais e o seu uso em situações lúdicas favorece a teoria da mente da criança, essencial para as suas relações sociais.

Nos últimos anos houve uma grande mudança no âmbito familiar. Uma das causas dessa mudança está ligada à utilização intensiva da tecnologia. Esse excesso traz prejuízos para o convívio entre pais e filhos. Nota-se que muitas vezes a prática do brincar livremente, com brinquedos e brincadeiras infantis, utilizando-se do faz de conta e da criatividade da criança, está sendo substituída pelo brincar tecnológico atrelado a uma tela, como o tablet, computador ou celular. Além disso, a crescente aceleração tecnológica contribui para o afastamento das relações. A rotina agitada das famílias, leva seus integrantes a passarem a maior parte do tempo fora de casa, como também colabora para o uso crescente de equipamentos eletrônicos. É cada vez mais comum o uso de aplicativos de comunicação digital que os pais utilizam para monitorar os filhos, substituindo muitas vezes o diálogo direto e pessoal.


Dra. Laura Faustino Gonçalves
Doutoranda em Ciências da Reabilitação (USP). Fonoaudióloga e Mestre em Fonoaudiologia pela UFSC. Aprimoramento em Andamento em Fonoaudiologia aplicado ao Transtorno do Espectro Autista. Experiência em Motricidade Orofacial, Fala, Dificuldades Alimentares, Comunicação Alternativa e Linguagem. Cursos com ênfase em Transtorno Motor de Fala, Seletividade Alimentar e Comunicação Alternativa.

laurafaustinog@outlook.com
@lauragoncalves.fono
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Hidroterapia em gestantes

A gestante sofre grandes mudanças em seu corpo desde o primeiro mês de gravidez. Essas mudanças promovem muitos desconfortos que podem ser amenizados pela hidroterapia.

Leia Mais »

Fisioterapia Aquática

Fisioterapia Aquática é uma atividade terapêutica que utiliza os recursos de uma piscina preparada especificamente para isso com medidas, profundidade, temperatura, ambiente externo e o

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!