Clique e acesse a edição digital

Anomalias anatômicas do útero

Tempo de Leitura: 4 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Qual é o formato normal do útero?
O útero tem um formato de uma pêra de cabeça para baixo. Em média, mede 7,5 cm por 5 cm por 2,5 cm de espessura. Ele é formado por paredes de músculo, e é oco por dentro. A parte de baixo, próxima à vagina, chama-se colo do útero.

A parte de cima é chamada de fundo uterino, e é ali que o óvulo fertilizado se aloja para que o bebê se desenvolva.
Algumas mulheres, no entanto, têm úteros de formatos diferentes. Estima-se que essa proporção esteja entre 0,1 e 3,2% das mulheres. Muitas têm a anomalia anatômica e nem sabem, porque podem até ter já tido filhos sem que tenha havido nenhum problema.

Quais são as principais malformações uterinas?

Existem vários tipos de anomalias:
Útero bicorno (útero com dois “chifres”): é o mais comum. Em vez de parecer uma pêra de cabeça para baixo, o útero parece mais um coração, com um recorte na parte superior central. O bebê fica com menos espaço para crescer do que um útero normal.
Útero unicorno (útero com um “chifre”): é bem raro. O tecido que forma o útero não se desenvolve direito na mulher, e o órgão tem apenas metade do tamanho do normal. Além disso, só há uma tuba uterina, em vez de duas. Apesar disso, na maioria dos casos a mulher tem dois ovários.
Útero duplo ou didelfo: bastante raro. É quando o útero tem duas cavidades internas, sendo que cada uma delas pode levar a um colo do útero e a uma vagina. A mulher pode assim ter duas vaginas.
Útero septado: a cavidade interna do útero é dividida por uma parede, chamada septo. O septo pode ir só até metade do caminho ou chegar até o colo do útero.
Normalmente, o útero é inclinado para a frente, na posição que os médicos chamam de anteversa. Algumas mulheres, no entanto, têm útero retroverso, ou retrovertido (ou ainda “virado”), inclinado para trás do abdome.

Quais são as consequências para a mulher?
Na fertilidade
O útero retroverso não afeta a fertilidade. A presença de um septo no útero só às vezes prejudica a capacidade de engravidar. Já uma mulher com o útero unicorno pode enfrentar problemas de fertilidade, porque há apenas uma trompa. Mas isso não quer dizer que a gravidez seja impossível.
Em geral, é possível dizer que as anomalias anatômicas do útero não impedem a gravidez, mas tornam mais difícil carregar o bebê na barriga até o fim dos nove meses.

Na gravidez
Há um risco maior de ter complicações na gravidez ou no parto, em especial no caso do útero unicorno. A possibilidade de o bebê ficar sentado é maior, e portanto muito provavelmente o parto terá de ser cesariana.
Com o útero bicorno ou unicorno, a mulher pode ter ameaça de parto prematuro, porque há menos espaço para o bebê crescer, e o útero fica sobrecarregado. Por outro lado, o colo do útero pode abrir antes do tempo, principalmente quando se trata da primeira gravidez. Se isso acontecer, o obstetra pode indicar uma cirurgia para manter o colo uterino fechado (conhecida como cerclagem).
Especialistas dizem que não há dados concretos que associem as anomalias uterinas a um risco maior de aborto espontâneo. Há indícios de que exista uma relação, mas ela parece ser maior em casos específicos, como o útero septado.

Existe tratamento para anomalias do útero?
Se a mulher está com dificuldade para engravidar, uma série de exames pode detectar a anomalia. Um deles é a histerossalpingografia, um raio-X com contraste, que pode ser bastante desconfortável. A má-formação uterina às vezes pode ser detectada também pelo ultrassom.
É possível que o médico recomende a realização de uma laparoscopia para examinar melhor o útero e as tubas, e também para retirar um eventual septo que exista.
A laparoscopia é uma cirurgia, e tem seus pontos negativos, pois pode criar aderências e cicatrizes que atrapalhem a fertilidade. Uma das possibilidades é ter o septo retirado através de uma histeroscopia, um procedimento mais simples.

Já estou grávida. A anomalia vai prejudicar o bebê?
Faça o pré-natal direitinho, indo a todas as consultas. O médico vai acompanhar sua gestação com cuidado. É bom conhecer bem os sinais de ameaça de parto prematuro, para que você procure ajuda se o bebê resolver querer nascer antes da hora.
Sempre que achar que alguma coisa está errada, procure o médico, sem se preocupar em incomodar ou dar “alarmes falsos”.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!