Clique e acesse a edição digital

Como conciliar filho e trabalho?

Tempo de Leitura: 3 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Os pais exercem uma importante função na estruturação da personalidade dos seus filhos. Acontece que boa parte dos pais passa horas em seus empregos, afastando-se assim do lar. E isso é um problema. É inquestionável que esse “abandono” de alguma forma repercute na formação da identidade da criança.

Ao chegarem em casa, os pais devem privilegiar o convívio, contar e escutar com interesse as experiências vividas pela criança. Sempre de forma natural. A psicóloga Rosana Morales Fonseca comenta essa questão.

“Há de fato a necessidade de compensar a criança afetivamente, aproveitar esses momentos para dar amor e atenção, entretanto isso não pode ser uma obrigação, pois a criança tem uma sensibilidade muito grande que capta a falta de prazer dos pais neste momento, podendo interpretar isso como falta de amor ou como ‘eu atrapalho’” revela.

Com atitudes espertas, os pais podem agradar a criança sem obrigatoriamente brincar com ela. Um exemplo é o pai que chega cansado do serviço e quer descansar assistindo a um programa televisivo.

Peça para ela brincar pertinho de você que será muito melhor. “A espontaneidade na relação é muito importante, não se deve agir temendo que estejam errando, viver na culpa. Não se culpem por trabalhar para dar conforto e segurança para seus filhos”, analisa Fonseca.

Educando à distância – Mesmo longe de casa, a atitude dos pais deve ser constante e planejada, pois é necessário que a criança saiba que qualquer deslize cometido será repreendido assim que a mamãe ou papai chegar.

“Não chega a ser um castigo, mas deve ser ensinada que no mundo real se fizer algo errado, a sociedade vai puni-la”, entende a psicóloga.

Escolha da babá ou empregada – Na ausência dos pais, a pessoa que cuida da criança deve educá-la de acordo com as normas de casa, isto é, de acordo com as regras que os pais seguem. Por isso é essencial orientar a cuidadora de como agir com a criança. A educação não se faz somente de forma presencial.

Nada em excesso – Os pais nunca devem adotar a filosofia de impor regras rígidas e, por ter obtido sucesso com tal educação, liberar o filho a fazer o que quiser por determinado momento, como prêmio pela obediência.

As conseqüências desse ato são crianças de 3 ou 4 anos tiranas e que mandam nos pais. Essa tirania não tem a ver com afeto, mas sim com falta de administração de autoridade.

Mostre toda atenção e amor que a criança precisa. Isso é fundamental para um vínculo afetivo entre pais e filhos que dará auto-estima e confiança para a criança.

“Os pais têm a função de prover o filho de cuidados físicos e psíquicos como alimento, calor, amor e contato físico, dar segurança emocional, compreendê-los e mostrar-lhes os limites e dar a noção que mesmo durante sua ausência, eles continuam amando e protegendo-o”.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Dia da Segurança na Materlife

Toda Mãe sempre esta preocupada com a  segurança do seu bebê.  E pensando nisso a Loja Materlife criou uma lista de  5 Itens de Segurança Imprescindíveis 

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!