Clique e acesse a edição digital

10 grandes emoções da gravidez

Tempo de Leitura: 6 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Future mother applying baby girl shoes to belly. Her husband sitting on couch, embracing wife and touching belly. Pregnant couple at home concept

“Será o meu filho um bebê saudável?” “Serei capaz de cuidar do meu bebê e ser uma boa mãe? A minha relação irá sofrer” “Irei ter tempo para mim e para namorar?”. A gravidez é um verdadeiro carrossel de emoções.

Entre alegrias, medos, dúvidas e ansiedades, depressa passam os 9 meses. Num breve piscar de olhos, estará a olhar para o seu filho, tão pequenino e aninhado na segurança dos seus braços.

A partir do momento em que decide engravidar até ao dia do nascimento, irá sentir muitas emoções, algumas ambíguas.

Mas afinal, a gravidez é só o início de um pequeno, mas imenso, milagre que vai tornar a sua vida verdadeiramente incrível. Por isso, usufrua de todos os momentos com muita felicidade e confiança.

1. DESCOBRIR QUE ESTÁ GRÁVIDA

Se a sua gravidez é planeada, todo o mês passa pelos mesmos sentimentos. Será que é desta que o desejo é concedido? Se lhe saiu a sorte grande, muitos parabéns!

Vai sentir-se mais forte e poderosa do que nunca, com a autoestima em alta e inundada de bem-estar.

2. A CONFIRMAÇÃO DA GRAVIDEZ

Fazer o teste de gravidez é um momento de grande ansiedade e emoção!

Se o resultado for positivo, é o início de uma viagem inesquecível. Uma simples risca mudará para sempre a sua forma de estar, as prioridades, as expectativas, tudo aquilo que é e que será por toda a vida.

3. OSCILAÇÃO DO HUMOR, MEDO E ANSIEDADE

Às profundas alterações hormonais, grandes responsáveis pelas repentinas e ambivalentes mudanças de estado do humor, juntam-se sentimentos de medo, ansiedade e inseguranças que condicionam as suas emoções: Será o meu filho um bebé saudável? Como será a experiência do parto? E se não conseguir amamentar o meu bebé ou o leite demorar muito tempo a aparecer? ?Serei capaz de cuidar e responder às necessidades do meu bebé e ser uma boa mãe?

Face às exigências da gravidez e às mudanças que se avizinham, as variações do humor são perfeitamente normais e não um motivo para preocupação e ansiedade acrescida a não ser que esteja verdadeiramente preocupada e em stress permanente.

4. CADA VEZ MAIS PRÓXIMOS

A chegada de um novo bebé tem o dom de aproximar o casal e aumentar a cumplicidade da relação.

Os planos para o futuro deixam de ser feitos a dois e passam a girar à volta e a incluir o bebê que vai nascer. Mesmo que existam mais filhos, a chegada de um novo bebê altera a dinâmica da família que tem que se adaptar a mais um elemento.

5. A FAMÍLIA EM PRIMEIRO LUGAR

A notícia da gravidez traz muitas alterações na vida do casal e, particularmente, na da mulher. A gravidez implica ter tempo para ir às consultas e fazer exames médicos, ter tempo para cuidar de si e descansar e, eventualmente, redefinir prioridades.

Para muitas mulheres, inicia-se um período de reflexão sobre a sua atividade profissional e evolução social versus dedicação à família.

6. A PRIMEIRA ECOGRAFIA

Na primeira ecografia da gravidez (realizada entre as 11-13 semanas), no minuto em que vê o seu bebê pela primeira vez, dá-se uma revelação, especialmente para o pai, que não sente os sintomas da gravidez e não vive a experiência física de gerar uma nova vida. O bebê torna-se incontornável e absolutamente real.

Apesar de saber que está grávida, ver o seu filho completamente formado, vivo e a mexer-se é uma emoção inigualável. É uma sensação de que os milagres acontecem e se revelam nas coisas mais simples da vida.

7. SENTIR O BEBê A MEXER

Para muitos casais, este é o ponto alto da gravidez. Sentir o bebê a mexer pela primeira vez (o que pode acontecer entre 18 e a 22 semanas) é uma experiência única e verdadeiramente feliz. O bebê torna-se cada vez mais presente e real.

À medida que o bebê cresce e o espaço no útero diminui, pode perceber o contorno do seu corpo através da sua barriga. Se acariciada suavemente, o bebê sente o toque e reage, mexendo-se. A partir deste momento, a interação entre pais e filho torna-se, também, física. Este contato cria uma relação cada vez mais próxima e intima com o bebê, muito tempo antes do nascimento.

8. GERAR UM BEBÉ FELIZ

No seu mundo confortável e recolhido, o bebê cresce e desenvolve-se como um ser único e especial com recordações e memórias. A interação e o estímulo dos pais na criação de uma vida emocional equilibrada do seu bebê iniciam-se muito antes do nascimento.

Estimular o bebê de forma consciente durante a gravidez ajuda-o a descobrir e a sentir novas emoções. Conversar, contar histórias e cantar para o bebê, faz com que se sinta acompanhado e a reconhecer a voz dos pais. Quando o bebé nasce, é como se já conhecesse os pais. O bebê sente-se agora seguro e confortável junto daqueles cuja voz tão bem reconhece e aprecia os pais.

9. FAZER AS PAZES COM O PASSADO

As recordações e experiências da infância ficam para a vida. Quando um casal decide ter um bebê há uma série de sentimentos, crenças e valores à mistura. Como vamos educar o nosso bebê? Como podemos criá-lo para ser feliz? O que podemos fazer para que sinta verdadeiramente amado?

Inevitavelmente, pensamos na educação e na relação que desenvolvemos e alimentamos com os nossos próprios pais e sobre os pais que queremos ser. Para muitas mulheres, esta é uma fase de reconciliação e de aproximação com a sua própria mãe. A experiência, a confiança e o apoio maternos são um enorme conforto e uma base de estabilidade para as mudanças que se avizinham.

Ter um filho, também é uma oportunidade para homenagear entes queridos que não tenham a oportunidade de conhecê-lo. A escolha do nome do bebê é prova disso.

10. A APROXIMAÇÃO DA DATA DO NASCIMENTO

A expectativa de conhecer o seu bebê, de aconchegá-lo e proteger nos seus braços, do toque pele com pele vai crescendo à medida que as semanas para o parto se aproximam.

Poderá dar por si a passar cada vez mais tempo no quarto do bebê, a sorrir sozinha quando toca no enxoval ou dobra as roupinhas e enquanto prepara os últimos detalhes para acolhê-lo com todo o seu amor.

O milagre da vida já aconteceu e em breve estará nos seus braços! A sua definição de amar mudará para sempre, pois nascerá com o seu filho esse amor maior, o amor de mãe!

Conteúdo autorizado para reprodução na Revista Materlife com a fonte retida pelo publicador.

Divulgado em:Mãe-Me-Quer – www.maemequer.pt

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Esperando o segundo filho

A melhor sugestão de todas: fique tranqüila. As crianças vivem como vivem os adultos que as rodeiam. Se você estiver ansiosa com o modo como

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!