Clique e acesse a edição digital

A escolha dos alimentos adequados no calor do Verão: é possível se planejar em meio às férias?

Tempo de Leitura: 5 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Kids eating corn. Food for kids. Cute boy eating healthy food in nature background

Passado o período das festas de final de ano, quando as crianças já estão de férias, eis que os pais contam com uma nova missão neste início de ano: a programação de diversão da criançada no período de recesso escolar ou até mesmo aquela viagem planejada pela família.

Até aí, tudo bem, afinal é um tempo livre de entretenimento com os pequenos. Por outro lado, haja imaginação para os responsáveis que não conseguem conciliar suas férias com a criançada e aí é uma dupla missão: trabalhar e oferecer momentos de lazer para entreter as crianças que estão cheias de energia, querendo aproveitar ao máximo essa época do ano, seja na praia, no cinema, no clube… a palavra de ordem é DIVERSÃO!

E quando se fala em alimentação na rua, na hora surgem aquelas opções nada saudáveis na cabeça, como um sanduíche de hamburger duplo, com queijo cheddar; ou uma sobremesa gigante repleta de açúcar. Bem, é difícil? Sim!

Entretanto, é possível, dentre essas possibilidades, minimizar os danos na hora da escolha destas “guloseimas” que tanto atraem boa parte da criançada – lembrando que o paladar é construído desde os primeiros anos de vida, quando se inicia a Introdução Alimentar, e moldado pelo ambiente familiar, em especial, no qual a criança está inserida (criança é espelho, é esponja, e segue o padrão muitas vezes que observa).

Na praia, por exemplo, há opções refrescantes e que precisam ser apresentadas para as crianças, como a água de coco, o milho (que não precisa encher de manteiga, é possível dosar isso na hora), um picolé de frutas, biscoito de polvilho (1 pacote apenas, ok?) com mate zero ou outra bebida zero açúcar. São opções que estão ali, é só comprar, não tem desculpa.

Ou então outras possibilidades práticas, que podem ser levadas de casa (sim, para isso precisa de planejamento, e pode ser uma missão em meio às férias, mas não é impossível). Por exemplo, levar um sanduíche de pasta de frango com creme de ricota com tomate e alface, com um refresco de suco de uva integral ou até mesmo de laranja.

Outras opções são biscoitinhos doces ou salgados de marcas clean label, que mesmo que sejam industrializados, possuem uma boa composição. Neste caso, ficar atento à porção sugerida, que sempre está escrita na tabela nutricional (ou seguir as orientações do nutricionista do seu filho, caso possa consumir uma quantidade um pouco maior).

Outro momento férias é um filme em casa com os amiguinhos que pode ser compartilhado com pipoca, mas tudo irá depender do modo de preparo deste lanchinho. O ideal é não usar óleo, o que é possível graças às pipoqueiras que não necessitam desta fonte de gordura na hora de fazer, podendo colocar um pouquinho de manteiga por cima ao final ou azeite extravirgem.

E não vamos esquecer das frutas! Além de serem fontes de minerais, vitaminas e fibras, também garantem a hidratação da garotada neste calor do Verão! Aí vale um potinho de salada de frutas, que podem vir com granola e iogurte natural (das marcas sem adição de açúcar, de preferência) ou fazer picolé de frutas em casa, que ainda irá garantir um momento lúdico e refrescante nestas altas temperaturas da estação (muitas receitinhas usam apenas fruta, iogurte natural, leite em pó, banana congelada), vai precisar apenas de forminhas para levar ao congelador.

Ou seja: é possível usar sua imaginação e ver dicas interessantes de receitinhas, que são realmente saudáveis, em páginas de nutricionistas nas mídias sociais ou buscar a orientação do nutricionista dos seus filhos, para criar opções práticas, saudáveis e saborosas para concluir o período de férias das crianças com sucesso, em termos de alimentação saudável.

Logicamente, que há os momentos de guloseimas mais calóricas, mas que também fazem parte da diversão gastronômica dos pequenos. Para isso, basta o bom senso na quantidade: não precisa comer mais que duas fatias de pizza ou escolher aquele hamburguer com queijos mais gordurosos, com duas carnes e bacon; ou no japonês consumir apenas as peças fritas, assim como optar pelo refrigerante zero ao invés do normal

Não existe alimento proibido. Tudo irá depender da frequência e quantidade ingerida, que cabe aos pais controlarem esse comportamento alimentar, afinal, crianças não têm esse olhar crítico se estão realmente exagerando. No mais: boas férias e aproveitem com muita alegria e disposição!

Nutricionista


Viviana Navarro

Pós-graduada em Terapia Nutricional em Pediatria pela UFRJ e também com especialização em Modulação Intestinal. Atende crianças e adolescentes, com foco em reeducação alimentar, a fim de ajudar o paciente a mudar a relação com a comida, sem “terrorismo nutricional”. Também atua junto ao público adulto que visa melhorar performance e àqueles que buscam o emagrecimento.


@vivinavarro.nutri
vivinavarro.nutri@gmail.com

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Tchau fraldinha

Será que já é à hora? Na última noite do ano de 2008, em meio a abraços, foguetório, champanhe, sete ondas, resoluções bem intencionadas e

Leia Mais »

Cotidiano Feminino

Ela entrou em casa voando, como fazia quando estava mais apressada do que o habitual. Enquanto passava pela sala recolheu os brinquedos do filho, espalhados

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!