Clique e acesse a edição digital

A maternidade mudou sua identidade?

Tempo de Leitura: 4 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
trieng-adulto-para-alcancar-trabalho-e-vida-pessoal

Você já parou para refletir sobre o que houve com a sua identidade após se tornar mãe?

Às vezes converso com amigas mães que estão com os filhos pequenos, e escuto que estão felizes e inebriadas pelo amor dos filhos, mas que apesar disso se sentem um pouco incomodadas por estarem em casa vivendo apenas o lado mãe. Sentem falta de suas identidades, seus hobbies, suas atuações, falta do que eram antes dos filhos nascerem. E o mais complicado é que ainda se sentem culpadas por se sentirem assim num momento em que supostamente deveriam estar se sentindo completamente realizadas. Eu também já me senti assim…

A vida muda e o universo ao redor também muda

Lembro bem da fase que os meninos eram pequenos e de uma hora para outra tudo mudou! As músicas que ouvíamos no carro (deixamos nossos hits preferidos, e passamos a ouvir somente o CD do cocoricó, do qual decoramos todas as letras). A decoração da casa também mudou completamente, brinquedos, carrinhos e cercadinhos passaram a integrar a sala, e vários outros equipamentos de bebês e crianças dominaram os outros cômodos.

Os programas de lazer também mudaram, eu achava uma delícia passear no parque com eles, mas e os filmes de adultos no cinema? Peças de teatro? Barzinho? Séries na tv? Livros que eu amava ler? Academia?

Sim, todos nós sabemos que quando um filho nasce tudo muda, todo o universo ao nosso redor se modifica, mas na verdade, esse abandono do que consideramos nossa individualidade é apenas uma fase, aos poucos tudo vai se arranjando, eles vão crescendo e se tornando um toquinho mais independentes (um tiquinho rsrs), e a gente consegue sim, voltar a fazer coisas que fazíamos antes deles nascerem.

Aproveite o que a maternidade de trouxe de melhor

Hoje estou bem segura com minha identidade enquanto pessoa e enquanto mulher, e digo com toda certeza a maternidade me mudou para melhor. Sinto-me mais segura e mais estruturada para fazer qualquer coisa que eu deseje fazer.

Descobri que temos diversas facetas, e que nossa identidade não precisa necessariamente estar vinculada somente ao nosso trabalho. A maternidade me deu um empoderamento quase prepotente, no sentido de certo pensamento:

 “se posso criar e educar essas crianças, eu posso fazer qualquer coisa nessa vida”

Identidade “mãe”? Não, a “mãe” é apenas uma boa parte dessa nova pessoa.

Descobri o gosto pelas artes manuais depois que meu mais velho nasceu, quando comecei a fazer quadrinhos de maternidade (tá certo que ele era um bebê bonzinho e cooperava muito). Descobri que gosto de criar, gosto de inventar, de fazer, gosto de ouvir e trocar ideias com outras mães. Descobri que gosto de brincar e que gosto de crianças (de todas, não só das minhas). Isso tudo que a vida de mãe me proporcionou me fez criar uma nova identidade que gosto muito, e é claro ainda pode se modificar ao longo dos anos.

E os conselhos que dou às amigas mães que andam sentindo falta dessa identidade são:

Tenha paciência: a fase de maior entrega, que eles ocupam todo o nosso tempo e ambiente passa tão rápido e acredite, você vai até sentir falta dela.

Converse com amigas mães: chame uma amiga mãe para um café, e conversem não apenas sobre os filhos, mas sobre seus hobbies, gostos, séries, musicais e livros preferidos.

Aproveite tudo que a maternidade tem de bom: não apenas todo o amor nos transforma na maternidade, mas todo o processo e encargos do dia a dia. Esses pequenos seres nos ensinam coisas que jamais aprenderíamos em outros lugares, nos desafiam, nos testam, nos modificam, nos fortalecem. Aproveite isso tudo para compor sua nova identidade que está se formando após a maternidade (sem necessariamente descartar a antiga). Pois como eu sempre digo, fora os perrengues, ser mãe é bom demais! E também uso bastante “a gente rala, mas se diverte” 

Conteúdo autorizado para reprodução na Revista Materlife com a fonte retida pelo publicador.

Divulgado por: Cynthia Le Bourlegat, blog Fala, Mãe! www.falamae.com

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

A baliza do vizinho

Pode reparar, qualquer dia desses, a partir de hoje, se é que ainda não o tenha feito, preste atenção quando vir um motorista fazendo baliza

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!