Clique e acesse a edição digital

Afinal o que é síndrome do bebê chiador?

Tempo de Leitura: 3 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Cute newborn baby sleeping in mother's arms.

Síndrome do Bebê Chiador pode ser provocada por uma hiper-reatividade dos pulmões do lactente que se estreitam na presença de certos estímulos, como um resfriado, alergia ou refluxo, por exemplo uma irritação da via aérea que leva a uma obstrução da passagem de ar provocando o “chiado” no peito (sibilos, que parecem o miado de um gato), tosse e cansaço. Até os 3 anos, 30-50% das crianças têm pelo menos um episódio. É, frequentemente, um sintoma transitório e 60% das crianças de idade pré-escolar que sibilam deixam de ter queixas em idade escolar. Este chiado pode ser contínuo (persistente) ou transitório. É muito comum confundir o termo bebê chiador com asma. Eles não são sinônimos.

O diagnóstico de bebê chiador é clínico. Para ser classificado como bebê chiador a criança abaixo de 2 anos precisa ter apresentado 3 ou mais episódios de chiado ou chiado contínuo, com duração de pelo menos 1 mês. A critério do pediatra, podem ser necessários exames complementares. Na presença de dermatite atópica e pais com história de asma o risco de desenvolver esta doença no futuro é de 60% e, quando negativos, cerca de 10% das crianças desenvolvem asma.

Quais as principais causas?

• Infecções virais

• Refluxo gastroesofágico

• Aspirações de corpo estranho (feijão, amendoim, pipoca, objetos pequenos entre outros)

• Doenças pulmonares como a broncodisplasia dos prematuros, fibrose cística e a própria asma.

• Insuficiência cardíaca

• Outras causas: Malformações de vias aéreas, tumores de mediastino, da traqueomalácia, da tuberculose entre outros.

Sintomas

O principal sintoma é o chiado no peito, conhecido como sibilo. A intensidade dos sibilos é variável:

Leve: sem causar dificuldade para respirar;

Moderado: quando há uma certa dificuldade respiratória necessitando de internação para tratamento e oferta de oxigênio

Grave: quando causa uma insuficiência respiratória com necessidade de internação em UTI e suporte de ventilação através de respiradores.

Tratamento

O tratamento do bebê chiador depende da causa, no entanto, na crise aguda está indicado o uso de broncodilatadores e em alguns casos corticoide oral.

A higiene ambiental é fundamental para evitar a exposição da via aérea a agentes irritantes como poeira, ácaros, mofo, pelos de animais.

O tabagismo dos pais deve ser desencorajado, pois a exposição à fumaça do cigarro aumenta a produção de muco e a reatividade das vias aéreas.

A fisioterapia respiratória é a melhor indicação que atua diretamente nos sinais e sintomas, com técnicas de higiene brônquica, melhorar o desconforto respiratório, principalmente associada ao uso de pressão positiva nas vias aéreas.

Sempre importante estar atento aos sinais de desconforto e procurar o especialista quando necessário.

Dra. Thais S. Rodrigues

Fisioterapeuta, apaixonada pela área da fisioterapia respiratória, formada pela Universidade Metodista de Piracicaba.
Pós-graduada em Terapia intensiva, Fisioterapia Neurofuncional pediátrico e adulto, Cuidados Paliativos e Oncologia. Há 9 anos Reabilitando Vidas.

@drathaissoleira
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Curiosidades sobre bebês

Algumas dessas curiosidades você pode estar careca de saber, mas isso tudo saiu num artigo da revista People da Inglaterra. – Os bebês nascem sem

Leia Mais »

INTERAÇÃO INFANTIL

Desde o momento em que a criança nasce ela cria meios de interação com o mundo externo. As formas muito limitadas de comunicação só são

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!