Clique e acesse a edição digital

Defeitos de formação do esmalte: um problema mais grave que a cárie?

Tempo de Leitura: 4 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Little baby girl at dentist chair. Children dental.


Imagine que você seguiu todas as orientações de cuidados com a higiene bucal dos dentes da sua criança. Você quer garantir que ela nunca sofra com cárie… Por volta dos 6 anos de idade começa o nascimento dos dentes permanentes, aqueles que desejamos que fiquem na boca, saudáveis até o final da vida. E ao erupcionar aqueles dentes novinhos na frente, você vê manchas brancas ou amareladas nada estéticas. Ou o primeiro molar permanente parece que já nasce com cárie ou “estragado”! Sim… Esse é um sinal muito ruim de que provavelmente estamos diante de uma HMI.

Mas o que é isso, Dra.?”

HMI é a abreviação dada para nomear os defeitos de formação de esmalte, DDE, que acontecem nos primeiros Molares e/ou Incisivos Permanentes.

Durante o processo de formação da camada externa do dente, o esmalte, distúrbios de origem sistêmica, ou ambiental, podem causar alterações nessa “amelogênese”, gerando defeitos irreversíveis relacionados à quantidade de tecido (matriz orgânica) ou na qualidade desse esmalte. Quando existe uma redução da espessura do esmalte, chamamos de hipoplasia. É um defeito quantitativo. Quando acontece um defeito na qualidade chamamos de hipomineralização, como na HMI.

A HMI, afeta de 1 a 4 molares permanentes e muitas vezes também afeta os incisivos permanentes. Isso se dá porque a mineralização dos molares e incisivos acontecem no mesmo momento.

Estima-se que em média 14% da população mundial apresente dentes com HMI. No Brasil temos dados de até 40% de prevalência na população do Rio de Janeiro, por exemplo.

Por que isso acontece?

Até o momento, as causas não são muito claras. O que sabemos é que diversas alterações ambientais, sistêmicas e genéticas que ocorrem no período pré-natal e nos primeiros anos de vida da criança, parecem relacionados a esses defeitos.

O processo de calcificação do esmalte dentário começa entre a 15ª/19ª semana de vida intrauterina e termina por volta dos 3 anos de idade da criança. É nessa janela que situações como prematuridade, baixo peso ao nascer, desnutrição, doenças e infeções como otites, infecções respiratórias como pneumonia, asma, bronquites e quaisquer outras infecções onde febre alta tenha sido observada, parecem estar relacionadas aos defeitos que podem ocorrer na dentição decídua (HMD)ou permanente (HMI). O uso de medicamentos como antibióticos, principalmente corticóides inalatórios, também são fatores de risco.

Mas por que os pais devem se preocupar?

Dentes afetados por esses defeitos costumam apresentar alta sensibilidade. A criança sente dor ao escovar dentes, ao comer, ao beber água. Ainda pior que isso, como o esmalte desses dentes é frágil e poroso, há uma maior probabilidade de desenvolver cárie e ir quebrando ao longo dos anos. Existem casos em que a gravidade do defeito leva a perda do dente, já que o tratamento é complexo devido à dificuldade em se conseguir materiais que façam uma boa adesão a esse esmalte.

Como prevenir?

Quanto antes a criança for acompanhada pelo Odontopediatra, os riscos de se desenvolver HMI podem ser identificados. Monitoramos o nascimento de cada dente, e caso seja diagnosticado um defeito de esmalte, fazemos protocolos de remineralização e dessensibilização através do uso de vernizes fluoretados ou aplicações tópicas de flúor.

Ao longo do tempo esses dentes precisam ser acompanhados periodicamente, e em muitos casos é necessário uso de materiais específicos para cada grau de comprometimento.

Não podemos esquecer que dentes acometidos por HMI apresentam manchas que vão de brancas opacas a amarelas e amarronzadas. O impacto no bem-estar emocional e social da criança pode ser bastante significativo.

Sendo assim, ressalto a conscientização das famílias que as visitas ao Odontopediatra regularmente são de extrema importância nos dias atuais diante de tantos quadros de HMI.


Dra. Gisele Costa Pinto

É dentista Ortodontista e Odontopediatra com foco no acompanhamento do desenvolvimento Craniofacial desde a Gestação

dragiselecp@gmail.com
@giselecostapinto

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Como ser pai solteiro

Você já pensou que muitos homens optam por ser pais solteiros? Sabe aquela figura de durão? Pois é, pode esquecer, já que muitos pais, assim

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!