Clique e acesse a edição digital

Gravidez de Gêmeos

Tempo de Leitura: 6 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Feet of three newborn babies in a soft blanket. Heart in the legs of newborn triplets. Studio photography. High quality photo

Temos observado um aumento da incidência de nascimento de gêmeos. Isto reflete uma mudança de comportamento da sociedade.

A mulher conquistando seu espaço no campo profissional acaba adiando os seus planos em relação à maternidade. Quando por fim conquistou o sucesso profissional, casou e planeja ter filhos às vezes, depara com um obstáculo a dificuldade para engravidar. Os tratamentos de infertilidade acabam estimulando o ovário a produzir mais óvulos e isso resulta num maior número de gravidezes de gêmeos e até trigêmeos. No passado não muito distante era raro ter uma escola infantil irmãos gêmeos, hoje isto é muito mais frequente com salas de aula com até mais de 1 gêmeos.

A alegria de um casal infértil ao engravidar é indescritível e quando descobre que são gêmeos, muitas vezes a felicidade é redobrada. Muitos até preferem porque já constituem a família de uma só vez. O obstetra compartilha desta alegria, no entanto, quando o casal deixa o consultório ele realiza que nem tudo é um mar de rosas.

Diferente de outros animais que tem facilidade para as crias múltiplas, o organismo da mulher não está preparado para mais de um bebê. Desta forma muitas intercorrências e complicações podem ocorrer durante a gestação. A mais temida é o parto prematuro. Para se ter uma idéia a gravidez de gêmeos representa 1% das gestações, mas é responsável por 10% dos óbitos fetais.

 

Como pode Ocorrer a Gravidez de Gêmeos?

De duas formas ou 2 óvulos são fecundados por 2 espermatozoides resultando nos gêmeos dizigóticos ou bivitelínicos ou não idênticos, podem ser 1 menino e 1 menina, 2 meninos ou 2 meninas. A outra forma é quando um óvulo é fecundado por um espermatozoide e ao se formar as primeiras células ocorre uma divisão ao acaso. Isto resulta nos gêmeos monozigóticos ou uni vitelínicos ou gêmeos idênticos. Estes são sempre do mesmo sexo e são iguais.

É mais frequente os gêmeos dizigóticos (2/3 das vezes) e os monozigóticos representam (1/3 dos casos). Os gêmeos dizigóticos ou não idênticos ocorrem quando na família existem outros gêmeos (hereditário), nas mulheres que engravidam mais tarde, nas que tiveram mais de dois filhos, na raça negra é mais frequente e nos tratamentos de reprodução humana. Os gêmeos monozigóticos acontecem ao acaso.

Curiosidades:

Muitas gestações de gêmeos foram geradas não na mesma relação, mas pode ter ocorrido fruto de duas relações sexuais no mesmo ciclo menstrual, mas em dias diferentes. Este fato é denominado super fecundação.

Adaptação do Organismo da Mãe à Gravidez de Gêmeos:

A gravidez única já é uma grande exigência para o organismo materno, imagine o que a gravidez de gêmeos demanda da mãe. O volume de sangue no fim da gravidez única aumenta 40 a 50%, nos gêmeos aumenta para 60%.

O útero aumenta bastante para comportar os dois bebês e isto pode causar dificuldade respiratória. Vale lembrar infelizmente que esta gestante está mais propensa a estrias.

 

Diagnóstico:

O diagnóstico pode se basear na clínica ou nos exames de ultrassom.

A gestante pode referir que têm antecedentes hereditários de gêmeos, em geral apresenta mais náuseas e vômitos, e refere crescimento rápido e desproporcional da barriga, além de sentir uma movimentação excessiva dos bebês. No exame físico o útero tem o tamanho maior do que o esperado para aquela fase da gestação e pode ser ouvido o coração de dois bebês.

Atualmente com o advento de ultrassom o diagnóstico é mais precoce e pode ser feito bem no início da gravidez pela visualização de dois ou mais embriões na ultrassonografia.

Problemas que Gravidez de Gêmeos pode Trazer

Existem uma série de intercorrências que podem acontecer, entretanto, não é uma regra que sempre ocorrerão.

As principais preocupações no pré-natal estão dirigidas à dieta, ocorre mais anemia, doenças hipertensivas específica da gravidez (pré-eclâmpsia) e prematuridade.

Repercussões da Gestação de Gêmeos na Gravidez:
Aborto
Prematuridade
Anemia
Infecção urinária
Polidramnío
Amniorexe prematura
Pré-eclâmpsia
Inserção baixa de placenta
Descolamento prematuro de placenta
Crescimento intrauterino restrito
Óbito intrauterino

Repercussões da Gestação de Gêmeos no Parto:
Prematuridade
Apresentação anômala (pélvica córmica)
Descolamento Prematuro de placenta
Prolapso do cordão umbilical
Maior incidência de cesárea
Hemorragia no pós parto
Anóxia perinatal
Tocotraumatismo

Cuidados durante o Pré-Natal

Orientação nutricional com dieta balanceada (proteínas e ácidos graxos essenciais), suplementação de vitaminas e sais minerais.

Como ocorre mais anemia, a gestante deve fazer exames de sangue com frequência (hemograma) para saber o grau de anemia. A suplementação de ferro é fundamental acrescida de ácido fólico.

Outra preocupação é a pré-eclâmpsia, portanto o acompanhamento periódico no pré-natal verificando a pressão arterial.

A conversa mais importante que o obstetra deve ter com a gestante é em relação a prematuridade. Quase todos os bebês nascem prematuros (antes de 37 semanas), por isso a gestante deve estar preparada para eventualidade. Para evitar à prematuridade a recomendação de repouso e diminuição das atividades principalmente nos últimos 3 meses da gravidez são medidas importantes.

Não é fácil para mulher workaholic reduzir o seu ritmo de trabalho, mas às vezes é a única saída para postergar o parto. Quando a gestante entra em trabalho de parto prematuro podemos interná-la para inibir o trabalho de parto com medicamentos. Esta medida é realizada quando o trabalho de parto ocorre entre a 26ª e 34ª semana. Nesta oportunidade podemos medicá-la também com corticoide para ajudar a preparar o pulmão do bebê para o nascimento prematuro.

Durante o pré-natal é sempre importante o obstetra explicar que existe grande possibilidade do bebê nascer prematuro, de precisar ir para a incubadora numa UTI neonatal, que em muitos casos os recém-nascidos precisam ficar vários dias no hospital. Algumas vezes um bebê tem alta antes do que o outro. O conhecimento destas informações acaba por assustar um pouco menos os pais.

Conteúdo autorizado para reprodução na Revista Materlife com a fonte retida pelo publicador.
Divulgado em: Dr. Julio Elito Jr. (www.julioelito.com.br)

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Grávidas nas alturas.

Voar não precisa ser uma experiência ruim. Longos voos são desconfortáveis para qualquer pessoa, mas são ainda mais desgastantes para mulheres grávidas. A sua viagem

Leia Mais »

A Disputa no Casamento

*Por Suely Buriasco O filme de Arnaldo Jabor “A Suprema Felicidade” traz uma interessante reflexão ao mostrar o relacionamento vicioso entre os pais do personagem

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!