Clique e acesse a edição digital

Cirurgia plástica pode remover dedos extras em casos de Polidactilia.

Tempo de Leitura: 2 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Podiatrist treating onychomycosis, a fungal infection of the toenails, with a laser in a hospital, closeup of the hands, laser and feet of the patient

O que é Polidactilia?

Podemos definir Polidactilia como um defeito genético manifestado por um alelo autossômico dominante.

Ela é hereditária e aumenta em 50% a probabilidade de quem nasceu com o problema gerar filhos que apresentem a mesma anomalia. Trocando em miúdos, a polidactilia é uma condição na qual uma criança nasce com mais de cinco dedos na mão ou no pé. 

Uma mutação genética deste tipo acontece na fusão dos genes maternos e paternos no embrião. Neste momento, uma “falha” produz um gene que é responsável pelo nascimento de uma criança com mais de cinco dedos.

A finalidade do problema é a característica mais importante a ser examinada logo após o nascimento. Pode-se retirar um apêndice pequeno e sem ossos. Mas dedos maiores – e que contenham ossos – requerem uma cirurgia delicada, conduzida por um especialista.

 Existem síndromes genéticas que costumam acompanhar o diagnóstico de polidactilia. Podem ser doenças genéticas mais graves, como a síndrome de Carpenter, síndrome de Ellis-van Creveld ou trissomia-13. Outras causas possíveis são a distrofia torácica asfixiante, Síndrome de Smith-Lemli-Opitz e Síndrome de Laurence-Moon-Biedl. 

A polidactilia pode ocorrer em três tipos:

-Pré-axial – Localizada ao lado do polegar;

-Pós-axial – Localizada ao lado do dedo mínimo;

-Central – Localizada entre os dedos indicador, anelar e médio.

Polidactilia pode ser diagnosticada via ultrassom. 

Esse tipo de exame pode verificar anomalias, síndromes, doenças e malformações antes do nascimento do bebê, desde o útero da mãe.

  A retirada do dedo extra é realizada através de cirurgia plástica, que também é indicada para resolver os problemas funcionais e estéticos da criança. 

A complexidade do ato cirúrgico passa pela avaliação de qual dedo tem melhor funcionamento e a decisão de se intervir nos tendões da mão ou do pé afetado.

Quanto mais cedo o tratamento cirúrgico for procurado, melhor para a recuperação da criança. A idade ideal para a correção é a partir dos 03 anos, já que a criança estará mais desenvolvida e oferecerá melhores condições para suportar um ato cirúrgico.

A polidactilia é uma das deformidades congênitas mais comuns da mão. A criança deve ser examinada por inteiro, predominantemente em casos pré-axiais, que podem estar associados a síndromes genéticas.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

DE OLHO NA BALANÇA:

Segundo o clínico geral e fisiologista do exercício, de São Paulo, João Pinheiro (CRM-SP 74.184), a principal causa é a falta de uma alimentação balanceada,

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!