Clique e acesse a edição digital

Sinais de prontidão do bebê para uma introdução alimentar segura

Tempo de Leitura: 4 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
bebe-na-cadeira-alta-a-escolher-que-fruta-comer

Você sabia que apesar dos seis meses de vida ser considerado um marco para o início da introdução alimentar do bebê, ele por si não é suficiente para garantir que a introdução ocorra de forma segura? Para me referir a esse período, eu prefiro usar o termo “a partir dos 6 meses” e não “aos 6 meses”.

A introdução alimentar é um passo importante no desenvolvimento do bebê, e é crucial que essa fase ocorra da forma mais segura possível. Para que isso aconteça, o bebê precisa apresentar um conjunto de habilidades motoras, incluindo as mastigatórias; visto que ele está em transição alimentar. Segurar objetos com as mãos, levar objetos à boca, movimentar a língua para manipular os alimentos são funções motoras que demonstram desenvolvimento motor pleno. Assim como os sinais de interesse pelos alimentos, as tentativas de pegar os alimentos com a mão, a curiosidade ao ver uma criança ou adulto se alimentando e a imitação dos movimentos de mastigação.

Bem, não é de forma aleatória que esse marco de desenvolvimento foi escolhido. Espera-se que aos seis meses, o bebê tenha explorado as etapas anteriores de desenvolvimento, como a exploração do solo em diversas posturas, a exploração das mãos, e ainda, que apresente uma ótima sustentação de cabeça. Qual é o motivo de esperarmos que o bebê apresente essas habilidades ao invés de esperarmos que ele complete 6 meses de vida?

Evitar engasgos. Quando o bebê não apresenta os sinais de prontidão necessários para garantir a deglutição segura, ele está sujeito a sofrer engasgos durante as refeições; pois a cintura escapular precisa ter um nível aceitável de estabilidade para que a coordenação dos movimentos de respiração e deglutição ocorra de forma satisfatória, principalmente em alimentos sólidos. A cintura escapular é uma estrutura que inclui ossos e articulações da porção superior do tronco e parte dos membros superiores.

É pertinente que a família espere ao menos essas três características do seu bebê: que ele consiga segurar bem a cabeça, que ele conquiste o sentar, mesmo com apoio e que ele pegue objetos com a mão, ensaiando levá-los à boca. Pode ser que ele precise de pouco mais de seis meses para atingir essas etapas. Pode ser que a introdução ocorra no sétimo ou oitavo mês e está tudo bem.

O importante é que ela ocorra de forma segura para o bebê. E estamos falando de desenvolvimento motor típico, ou seja, desenvolvimento motor de crianças que não apresentam diagnósticos clínicos que comprometam o sequenciamento do desenvolvimento. Se essa criança com desenvolvimento motor típico estiver apresentando sinais de atraso no desenvolvimento, a família deve buscar um fisioterapeuta pediátrico para que as aquisições motoras transcorram como o esperado.

Se nós estivermos nos referindo a um bebê com desenvolvimento motor atípico, esse bebê precisa de fisioterapia regular para aquisições motoras relacionadas à cabeça e ao tronco; assim como fonoaudiologia de rotina. Essas conquistas motoras devem ser priorizadas, mas a evolução do bebê vai depender de vários fatores: da condição clínica e motora do bebê, da participação da família, da frequência e regularidade das terapias, e da expertise dos profissionais.

Por fim, gostaria de deixar algumas sugestões para as famílias que estão se preparando para a introdução alimentar: primeiramente, conversar com o pediatra para receber todas as recomendações alimentares necessárias e específicas, e acompanhar o ganho de peso. Caso a família precise de mais suporte nessa transição, é importante consultar um fonoaudiólogo pediátrico. Existem diversas estratégias alimentares que podem ser implantadas na rotina e podem facilitar esse período. E se for necessário mais suporte, um nutricionista pode ser consultado. O fisioterapeuta pediátrico é o profissional responsável por avaliar o desenvolvimento motor global da criança, caso haja dúvidas sobre o início da introdução alimentar baseada na biomecânica do bebê; esse profissional deve ser consultado.


Dra. Taciane Melo
Fisioterapeuta neuropediátrica, especializada em desenvolvimento de bebês,
Instrutora de Shantala, Mestre em Saúde Pública pela Fiocruz, ILMD/AM (2018),
Membro da Associação Brasileira de Fisioterapia Neurofuncional (ABRAFIN), Membro da La cause Des Bébés, associação francesa transdisciplinar de estudos e pesquisas sobre bebês, unidade Brasil.
@fisiotaciane_melo
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Diarreia aguda em crianças

Porque a suplementação com Lactobacillus reuteri DSM17938 é importante As diarreias são implicadas como a segunda causa de mortalidade em todo o mundo e primeira

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!