Clique e acesse a edição digital

DESCUBRA COMO ALIVIAR NATURALMENTE A DOR DO PARTO

Tempo de Leitura: 7 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Normalmente, a dor é interpretada como um sinal de desequilíbrio orgânico, um alerta de que há algo errado com o nosso corpo. Porém, a dor inerente ao processo do parto não é uma dor comum, mas sim uma dor fisiológica, natural, produto de contrações uterinas intensas e da adaptação de ossos e ligamentos para que seja possível a passagem do bebê pelo canal de nascimento.
“Além da dor física, não se pode deixar de pensar sobre a dor emocional envolvida. Durante o parto, a mulher experimenta sensações, a maioria das quais, nunca vivenciada antes. Assim, emoções como medo, ansiedade e tensão podem gerar uma percepção exacerbada da dor”, explica a naturóloga e doula Raquel Oliva, fundadora da empresa Comparto (link?).
Em nossa cultura a dor é sempre vista como algo negativo e os avanços da medicina moderna permitiram o desenvolvimento de drogas analgésicas e anestésicas que suprimem a dor. Entretanto, estas substâncias também possuem potencial de causar problemas como desaceleração do processo ou até a estagnação do trabalho de parto. Ao mesmo tempo, observa-se um “efeito em cascata”, ou seja, uma intervenção leva a outra e o parto pode acabar tendo que ser induzido artificialmente.
“A maioria das mulheres é perfeitamente capaz de parir com pouco ou nenhum método de alívio da dor pois o corpo produz endorfinas e outros hormônios como a ocitocina (hormônio que que gera sentimento de vinculação entre mãe e filho, facilita a expulsão da placenta e contribui para a produção de leite) para manejar a dor intensa, mas suportável, que passa imediatamente após o nascimento, dando lugar a sensações de êxtase e realização”, explica a especialista.
A naturólga e doula Raquel Oliva elaborou uma lista de métodos naturais de alívio ou manejo da dor, veja:
Alguns dos recursos livres de drogas que podem ser utilizados neste contexto são universais e podem ser empregados por qualquer pessoa, enquanto outros, como as terapias naturais complementares, devem ser aplicados por um terapeuta experiente.
Posicionamento e Mobilidade
Movimentar-se livremente durante o trabalho de parto é, geralmente, uma maneira efetiva de redução da dor. Ficar de pé e caminhar beneficiam a mobilidade dos ossos da bacia e permite que a gravidade ajude o bebê a encaixar-se, podendo encurtar o tempo do trabalho de parto e facilitar o manejo da dor. Algumas posições servem para corrigir apresentações inadequadas do bebê, aumentar o fluxo de sangue do útero ou promover maior conforto. A melhor opção é seguir os instintos durante o trabalho de parto, percebendo e respeitando as necessidades de seu corpo.
Respiração e relaxamento
Existem técnicas que ajudam a aumentar a oxigenação durante as contrações e o relaxamento nos intervalos, mantendo-a focada em seu corpo. Pratique uma respiração calma e profunda durante os intervalos. Durante as contrações, a respiração acelera-se, iniciando lenta e aumentando o ritmo progressivamente. Entretanto, não existem regras fixas, o importante é manter a calma e concentração.
Água
A água quente é um dos recursos mais importantes. Um banho quente (não ultrapassando 38°C) de chuveiro com uma ducha sobre as costas, especialmente quando dirigida a região lombar, diminui as dores das contrações e relaxa músculos e tensões. Uma bolsa de água quente exerce efeitos similares. Já a imersão em banheira, deve ser realizada, idealmente, depois de completados 5 ou 6 cm de dilatação para que não desacelere o processo de dilatação do colo do útero.
Meditação, Visualização, Hipnoterapia
A meditação a ajudará manter-se centrada, consciente e alerta durante todo o parto, reduzindo a ansiedade (aproveite para exercitar as técnicas de respiração). Visualizações criativas não devem ser desprezadas e contribuirão no lidar com cada contração, mantendo o foco longe da dor. Você poderá imaginar seu colo se abrindo, o bebê saindo, e tudo que traga esta mesma simbologia. Outra modalidade que vem ganhando adeptos por todo o mundo é a Hipnoterapia, que poderá ser praticada a partir da 34ª semana de gestação, trabalhando o poder do subconsciente e da auto-sugestão.
Ambiente
Silêncio, privacidade e discrição são características fundamentais para a criação de uma atmosfera positiva para o trabalho de parto. Para complementar use velas (iluminação a ‘meia luz’ influi bastante), aromas, cores e músicas que ajudem a criar um ambiente agradável, livre de perturbações.
Terapias Naturais Complementares
Massagem
A massagem pode ser grande aliada neste momento. É interessante que seu parceiro pratique algumas técnicas antes do parto. O amassamento na região lombar pode ser útil se estiver tendo dores nas costas. Aplicadas nas mãos e pés, ombros e pescoço, são melhores entre contrações e ajudam a relaxar. Esta técnica pode ajudar o seu companheiro a sentir-se envolvido e colaborando de alguma forma.
Aromaterapia
Óleos essenciais também são ótimos aliados durante o parto. Estudos científicos demonstraram alívio de dores e redução de intervenções médicas quando utilizados adequadamente. Jasmim, Sálvia, Rosa, Lavanda e Camomila são Alguns dos óleos que podem ser utilizados. Embora sejam eficazes durante o trabalho de parto, estes óleos devem ser evitados durante a gestação, por isso, não deixe de consultar um especialista antes de utilizá-los!
Acupuntura
Principal técnica da Medicina Tradicional Chinesa, é capaz de colaborar com vários aspectos do parto: acalmar medos, posicionar melhor o bebê, eliminar dores e estimular contrações. As técnicas Moxabustão e Auriculoterapia também oferecem ótimos resultados.
Fitoterapia
Alguns chás podem contribuir com o trabalho de parto, incluindo os de folha de framboesa (promove contrações regulares ou camomila e erva-cidreira (para relaxamento), assim como os de Canela e Gengibre.
Homeopatia
Remédios homeopáticos fortalecem a habilidade natural de equilíbrio do corpo humano, funcionando no nível sutil de energia, sem qualquer contra-indicação. Procure um homeopata para indicações de tratamento antes, durante e após o nascimento de seu bebê. Durante o trabalho de parto podem ser recomendados: Arnica, Caulophyllum, Nux vomica ou Hypericum.
Florais de Bach
Remédios Florais também influenciam o conforto emocional no momento tão esperado. Coloque 2 gotas em um copo com água e beba aos poucos nos intervalos das contrações. Use Rescue Remedy para medo e pânico, Olive para exaustão ou Cherry Plumquando sentir que não suporta mais.
Outras alternativas
Estimulação Elétrica Transcutânea – TENS Machine
Trata-se de um pequeno aparelho que ajuda a reduzir as dores das contrações por meio de estimulação nervosa. Esta máquina envia impulsos elétricos através de eletrodos colocados na superfície da pele, próximo aos locais de dor, bloqueando-a parcialmente e estimulando a produção de endorfinas (analgésicos naturais). As vantagens são que se pode utilizá-la tanto em casa quanto no hospital e não apresentarem efeitos adversos. Você pode alugá-las se não quiser investir tanto.
Gás e Ar
A técnica Entonox, também conhecida como Gás e Ar, consiste na inalação de um gás composto de 50% de Oxigênio e 50% de Óxido Nitroso que promete aliviar as dores das contrações, com efeitos variáveis de pessoa para pessoa. A respiração é realizada com o auxílio de uma máscara e suas vantagens são a fácil utilização, aumento da oxigenação e a não permancência dos compostos nos sistemas respiratório e circulatório. Os efeitos adversos comumente observados são tontura e sonolência, além de boca seca.
Contudo, é prudente que se tente utilizar os variados recursos naturais disponíveis para o alívio da dor antes de recorrer às drogas sintéticas. Entretanto, não se preocupe se sentir que não é capaz de lidar com a dor, você terá tantos outros métodos ortodoxos de analgesia e anestesia, bastará solicitar à equipe médica. A escolha deve ser sempre sua! Por isso, pesquise, informe-se e reflita bastante sobre suas preferências!

Fonte- Naturóloga e Doula Raquel Oliva, Fundadora da Empresa Comparto.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Varizes na gravidez

Veias dilatadas e tortuosas, as varizes se desenvolvem sob a pele e, dependendo da fase em que se encontram, podem ser de pequeno, médio ou

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!