Clique e acesse a edição digital

Meu filho tem medo de tudo. O que fazer para ajudá-lo?

Tempo de Leitura: 4 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
death-1200

Medos fazem parte da vida, tanto de adultos quanto de crianças. Os pequenos geralmente têm medo de coisas específicas, como do escuro ou de alguns animais. Com a idade, vêm os medos mais complexos: perder o emprego, ficar sozinho, entre outros.

Muitas vezes, as crianças se sentem vulneráveis e desprotegidas em um universo onde tudo é novidade para elas. Nesse contexto, cabe aos pais ensinar como enfrentar essas sensações de insegurança de forma saudável. Se você se preocupa e constantemente se pega pensando “meu filho tem medo de tudo”, confira aqui algumas dicas do que você pode fazer para ajudá-lo.

Dialogue sobre o que o assusta

Quando a criança começa a manifestar sensações de medo, é importante conversar com ela e dar atenção ao que ela tem a dizer. Não ignore o que assusta seu filho. Por mais simples que possa parecer, é crucial para ele saber que pode contar com os pais para se expressar.

Transmita carinho e tranquilidade à criança e não ria ou faça pouco caso do que ela for te contar. Tente explicar que não existem motivos para sentir medo de determinada coisa. Use jogos, livros ou brincadeiras lúdicas para mostrar que não há nada de ameaçador no que assusta a criança. E tenha paciência para guiá-la por essa fase. Não espere que ela vá superar um medo em um dia.

Não tente evitar o medo

O medo é um sentimento natural, é um instinto de sobrevivência. Portanto, é impossível evitar que seu filho vá senti-lo um dia. Superproteger as crianças do medo e da realidade não vai ajudá-las em seu desenvolvimento. O truque é trabalhar a autoconfiança no seu filho.

Crianças autoconfiantes são curiosas, mais sociáveis e abertas ao novo. O medo sempre vai existir, mas comportamentos paranoicos e excessivos vão impedir que seu filho seja livre e mais feliz no futuro. Se algo assusta seu filho, ajude-o a encarar e resolver esse medo.

Não estimule o medo

Tudo bem que o medo é normal, porém não o traga para o dia a dia das crianças. É importante dar limites aos pequenos, mas não use frases como “não faça isso, você vai se machucar!” ou “não vá ali, tem um monstro ou uma bruxa!”. Com o tempo, as crianças vão rapidamente ficar mais receosas e medrosas.

O medo pode ser paralisador e você não quer que seus filhos não se aventurem na vida por serem desconfiados e ansiosos com o desconhecido em demasia. Resista à tentação de usar esse tipo de vocabulário, tenha paciência e converse com seu filho para explicar o que é certo e o que é errado.

Busque aconselhamento

Se você observar que, mesmo depois de muita conversa e explicação, seu filho continua demonstrando um comportamento amedrontado e vive constantemente assustado com alguma coisa, um simples aconselhamento psicológico pode ajudar a te dar mais ideias de como auxiliar seu filho. Conheça o Portal Psicologia Viva, onde você poderá ter uma orientação adequada com psicólogos experientes. Esta orientação pode ser feita presencialmente ou até pela Internet, em ambiente virtual seguro e sigiloso.

O medo nasce com a gente e nos prepara para enfrentar os desafios da vida. Apoie seu filho a entender esse sentimento e usá-lo como aliado. Afinal, todo herói corajoso também sente medo, ele apenas aprendeu a lidar com ele!

Conteúdo autorizado para reprodução na Revista Materlife com a fonte retida pelo publicador.

Divulgado em: Site Psicologia Viva

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!