Clique e acesse a edição digital

Os cuidados no primeiro trimestre da gravidez

Tempo de Leitura: 4 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Woman discovering her positive pregnancy test

A menstruação atrasou, fez aquele teste e a suspeita se confirmou: você está grávida. Os sentimentos se misturam entre medo, principalmente para mães de primeira viagem, euforia e felicidade. Muitas de nós mulheres já passaram por isso e outras tantas ainda vão passar. A gestação é o início de algo mágico e transformador nas nossas vidas para o tão importante ato de ser mãe. 

O ideal antes de engravidar, é buscar um acompanhamento médico, realizar exames, atualizar as vacinas e ter certeza de que está tudo bem com seu corpo. Mas em boa parte das vezes não é isso que ocorre e muitas mamães são pegas de surpresa, sem qualquer preparo prévio.  

Assim que descobrimos a gravidez, precisamos tomar uma série de cuidados para garantir uma gestação tranquila e o desenvolvimento saudável dessa nova vida que estamos gerando. E nos primeiros três meses, esses cuidados são ainda mais essenciais.

É nesta primeira etapa, com o início do pré-natal, que o ginecologista/obstetra vai pedir uma série de exames para verificar a saúde da mãe e do bebê. Um deles, obrigatório, é o exame de HIV, pois se a gestante for soropositiva, com o tratamento e acompanhamento corretos é possível evitar a transmissão do vírus para o bebê.

O médico também vai investigar se a gestante tem sífilis, hepatite B e C, rubéola, toxoplasmose, alguma doença crônica como obesidade, hipertensão e diabetes, e fazer uma análise da condição geral de saúde da gestante e determinar os cuidados a serem adotados durante a gravidez. A suplementação de vitaminas é fundamental para uma gestação mais saudável e o ideal é que seja personalizada para cada fase da gestação. A suplementação com ácido fólico ou metilfolato, vitamina D, iodo, ômega 3, entre outras devem ser iniciadas com orientação médica. 

Você também já deve ter ouvido que o primeiro trimestre da gravidez é o mais crítico. Nesse período há maior incidência de abortos espontâneos, sem causas definidas ou geralmente ocorridos por má formação do feto. Além disso, o óvulo fecundado traz 50% de características genéticas da mãe e 50% do pai, que ainda são estranhos ao organismo da mulher. 

Transformação

Mas não se assuste. A maior transformação está na revolução que ocorre neste pequeno tempo compreendido entre a primeira e a 13ª semana da gestação. É nesse período que o feto tem um crescimento em ritmo acelerado, desenvolvendo uma corrente sanguínea própria e seus principais órgãos vitais como coração, cérebro, fígado, rins e estruturas internas. 

Se o bebê for uma menina, nesta época, também se inicia a formação dos ovários (quando nascer a menina já terá uma reserva de cerca de 2 milhões de óvulos) e no caso dos meninos começa a formação dos testículos que se manterão na cavidade abdominal até o final da gravidez, quando se deslocam para a bolsa escrotal. 

Na 5ª/6ª semana, por exemplo, já é possível ouvir o coração do bebê batendo e a partir da 10ª semana os órgãos vitais já estão formados e funcionando.

Os membros como mãos, pés, articulações, além dos músculos, ossos, olhos, nariz, a feição do rosto e até as unhas também já estarão formados ao final do primeiro trimestre da gestação, quando o feto medirá em torno de 10 cm e pesará cerca de 20g. 

Humor

O primeiro trimestre é o período de incidência dos famosos (e temidos) enjoos gestacionais. Os enjoos são provocados pelo aumento considerável dos níveis de progesterona no organismo, que ainda propicia o aumento do sono, da salivação e da instabilidade de humor, além do aumento do hormônio beta HCG.

Essa chuva de hormônios também pode deixar a gestante muito sensível ou com os nervos à flor da pele. Então, não se assuste com suas emoções, pois a gravidez provoca muitas mudanças biológicas no organismo da mamãe que começam com a produção dos hormônios da gravidez, progesterona, estrogênio, Hcg, Hpl e muitos outros que surgem no corpo da mulher a partir do momento da concepção.

O mais importante é curtir a gestação, adotar as recomendações do médico que incluem também cuidados com a sua alimentação. Não é porque você está grávida que tem a desculpa de sair devorando o mundo, não é? É importante comer bem, dormir bem, praticar exercícios, pois isso vai manter bem a sua saúde e garantir um desenvolvimento saudável do seu bebê. 

Além dos cuidados com a saúde física é fundamental cuidar da saúde emocional. Musicoterapia, técnicas de respiração e relaxamento, associados a um atendimento humanizado pela equipe poderá deixar a gestante muito mais tranquila, feliz e preparada para a gestação e parto. 

Fonte: Dra. Erica Mantelli, ginecologista e obstetra, pós-graduada em Sexologia pela Universidade de São Paulo (USP)

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Parto público e privado

O parto na rede pública, e privada com e sem plano de saúde Os procedimentos, condutas hospitalares e direitos da mulher em relação ao parto

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!