Clique e acesse a edição digital

Queimaduras

Tempo de Leitura: 5 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
vista-da-jovem-na-praia-com-locao-na-pele-queimada-pelo-sol

Segundo a Sociedade Brasileira de Queimaduras, cerca de 1 milhão de acidentes com queimaduras acontecem anualmente no Brasil, com 300 mil envolvendo crianças. Muitos desses incidentes poderiam ser evitados com medidas simples de prevenção.

Para proteger as crianças contra queimaduras, é crucial entender como elas acontecem. As queimaduras mais comuns são as térmicas, que ocorrem quando a temperatura da pele e dos tecidos aumenta. Elas podem ser causadas por vapor, água quente em excesso durante o banho, líquidos quentes como bebidas e alimentos, e derramamentos na cozinha, entre outras situações.

Queimaduras de radiação: ocorrem devido à exposição aos raios ultravioleta do sol (queimadura solar por falta de proteção adequada) ou à radiação, como durante um exame de raio-X.

Queimaduras químicas: ocorrem devido à ingestão de ácidos fortes (como produtos de limpeza) ou ao contato com produtos químicos (como alvejante) na pele ou nos olhos.

Queimaduras elétricas: causadas pelo contato com corrente elétrica, podem ocorrer ao morder cabos elétricos, tocar em tomadas ou, em casos de adolescentes, ao empinar ou retirar pipas da rede elétrica.

Reconhecendo os tipos de queimaduras

As queimaduras são categorizadas em 1º, 2º e 3º graus, conforme sua gravidade. As de 1º grau deixam a pele avermelhada, sem formar bolhas. Já as de 2º grau afetam camadas mais profundas, causando bolhas e exigindo avaliação médica. As de 3º grau danificam todas as camadas da pele, resultando em uma ferida seca, esbranquiçada ou marrom. Geralmente, a dor é menos intensa devido aos danos nos nervos e são comuns em queimaduras por chama, substâncias químicas ou eletricidade.

O que devemos fazer em caso de queimaduras?

No caso de queimaduras superficiais:

•             Remova a criança da fonte de calor e retire imediatamente as roupas da área queimada.

•             Lave o local com água corrente em temperatura ambiente por tempo suficiente para resfriar a queimadura ou aplique uma compressa limpa e fria sobre ela por 3 a 5 minutos (evite o uso de gelo, que pode causar mais danos à pele ferida).

•             Não aplique manteiga, graxa, pó ou qualquer outro remédio “popular” na queimadura, pois podem agravar a lesão e aumentar o risco de infecção.

Para queimaduras de espessura parcial e total:

•             Ligue para atendimento médico de emergência.

•             Mantenha a criança deitada com a área queimada elevada.

•             Siga as instruções para queimaduras de primeiro grau.

• Remova todas as joias e roupas próximas à queimadura, exceto se estiverem grudadas na pele. Se houver inchaço, pode ser necessário cortar a roupa ou aguardar ajuda médica.

• Evite romper bolhas.

• Aplique água fria na área afetada por 3-5 minutos e cubra-a com um pano ou lençol limpo e seco até a chegada de ajuda.

Para queimaduras elétricas e químicas:

• Certifique-se de que a criança não esteja em contato com a fonte elétrica antes de ajudá-la, para evitar choques.

• Para queimaduras químicas, lave a área com bastante água corrente por pelo menos 5 minutos. Se a queimadura for extensa, utilize banheira, chuveiro, baldes de água ou mangueira de jardim.

• Não remova imediatamente as roupas da criança antes de começar a lavar a queimadura com água. Conforme você lava a queimadura, pode gradualmente retirar as roupas da área afetada.

• Se a área queimada por um produto químico for pequena, lave por 10 a 20 minutos e procure ajuda médica.

• Queimaduras químicas na boca ou nos olhos devem ser examinadas por um médico imediatamente após serem enxaguadas com água.

• Queimaduras químicas e elétricas, mesmo não visíveis, podem ser graves devido a danos internos. Os sintomas variam conforme a gravidade e a causa da queimadura.

Como evitar as queimaduras?

• Preparo do banho do bebê: A temperatura ideal da água é de aproximadamente 37ºC. Adicione água fria primeiro e depois água quente. Antes de colocar o bebê na banheira, teste a temperatura com sua mão. Não permita que a criança ajuste a temperatura da água sozinha.

• Evite usar o micro-ondas para aquecer a mamadeira, pois pode causar queimaduras graves na boca e garganta.

• Não deixe alimentos cozinhando no fogão sem supervisão.

• Evite acender velas em áreas acessíveis às crianças. Guarde fósforos, isqueiros e velas fora do alcance dos pequenos.

• Banho de sol: opte por fazê-lo somente antes das 10 horas ou após as 16 horas. Evite exposição prolongada ao sol ou fora desses horários.

• Tomadas e fios desencapados: representam risco de choque elétrico: as crianças colocam objetos metálicos nas tomadas e os levam à boca. Coloque tampas de proteção nas tomadas e substitua os fios desencapados.

• Cozinha: local de maior risco para queimaduras. Coloque uma barreira física como grade de proteção na porta. As panelas devem ficar nas bocas de trás do fogão, sempre com o cabo voltado para o fundo e longe do alcance das crianças.

• Evite o uso da boca dianteira para fervura de líquidos e frituras.

• Evite manusear líquidos e alimentos quentes com a criança no colo e mantenha-os longe das bordas dos balcões, pias e mesas. Lembre-se de que a criança pode puxar a toalha de mesa. Tenha cuidado ao transportar panelas com líquidos quentes.

• Ferro de passar roupa e aparelhos elétricos: também devem ficar fora do alcance das crianças.

• Evite manter álcool líquido e outros combustíveis em casa, pois seus recipientes podem inflamar na presença de chama ou faísca, causando queimaduras graves. • Churrasqueira: mantenha a criança afastada. Evite usar álcool para acender o fogo e não deixe garrafas de álcool ou outros combustíveis próximos à churrasqueira.

Dra. Fernanda Módolo de Paula de Moura Campos
Médica Dermatologista com título de Especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Dermatologia
CRM 120155
RQE 67162
femedmodolo@yahoo.com.br
@femodolo.dermato
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

O TEMPO DA OBSTETRICIA VISUAL

Por Dr. Eliezer Berenstein* O avanço da tecnologia na medicina veio para ajudar e muito, principalmente na área de ginecologia e obstetrícia. Até alguns anos

Leia Mais »

Infecção urinária

A infecção urinária (ITU) é definida como a presença de microorganismos em alguma parte desse sistema. Quando acomete os rins, chamamos de pielonefrite; quando é

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!