Clique e acesse a edição digital

TEA: primeiros sintomas, principais dificuldades alimentares e suplementos aliados

Tempo de Leitura: 5 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Happy child girl in the kitchen eats tasty fruits, sweet oranges.

Dentre os públicos que atendo, um deles é formado por crianças e adolescentes, onde observo, em certos casos, sinais indicativos de autismo, mas que os pais não têm ainda o diagnóstico fechado, feito este por um médico.

Dados de 2021 do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, apontam que 1 em cada 36 crianças tem autismo. No Brasil, segundo o IBGE (2010), 1 em cada 150 crianças apresentam tal condição, numa proporção de 3 para 1, quando se fala em meninos e meninas, respectivamente.

Os primeiros sinais podem ser observados logo nos primeiros dois anos de vida, quando acontece a maior parte do desenvolvimento cerebral. Inicialmente o atraso no desenvolvimento da linguagem e a ausência de interesses sociais ou interações sociais comuns. Já no segundo ano de vida, é preciso ficar atento a comportamentos estranhos e repetidos, assim como ausência de brincadeiras típicas.

Além dos sinais ligados ao comportamento como um todo e à comunicação, pode-se observar algumas complicações alimentares típicas, como seletividade alimentar; recusa alimentar; baixa ingestão alimentar (em certos casos, comer de modo compulsivo, varia de acordo com cada indivíduo ou no mesmo paciente, ao longo dos anos); preferências por carboidratos e alimentos processados; e o Transtorno da Pica (Picamalácia), que é o desejo por consumir coisas que não fazem parte de alimentação, como por exemplo a terra, dentre outros.

Em relação à seletividade alimentar, em especial, é possível notar uma hipersensibilidade sensorial, em relação à textura dos alimentos, temperatura, forma de apresentação e até mesmo coloração, sabor, cheiro. Por isso, ocorre muita resistência em se provar novos alimentos, restringindo bastante a variedade de alimentos consumidos, dentro de cada grupo alimentar, o que reduz significativamente a ingestão adequada de vitaminas, minerais e fibras, presentes especialmente nos vegetais e frutas.

Um artigo de revisão publicado em 2014 no jornal científico Pediatrics, da American Academy of Pediatrics revelou que crianças com autismo apresentam cerca de 4 vezes mais chances de terem distúrbios gastrointestinais, com destaque para a diarreia e a constipação intestinal. E dentro deste contexto, é de suma importância avaliação da microbiota intestinal destes pacientes, já que o intestino é considerado o segundo cérebro.

Por isso, muitas vezes se faz necessário o uso de uma suplementação, até que haja uma melhora do padrão alimentar destes pacientes, afinal, é um caminho a ser percorrido com muito acolhimento e respeito às individualidades de cada criança e analisando cada contexto familiar também. Dentre os suplementos que podem ajudar a melhorar o quadro, estão os seguintes:

  • Vitamina D – estudo publicado no Journal of Child Psychology and Psychiatry descobriu que crianças com autismo são mais propensas a ter deficiência de vitamina D. A suplementação com este micronutriente pode ajudar a melhorar os sintomas do autismo. A vitamina D é essencial para a saúde dos ossos e para o funcionamento do sistema imunológico;
  • Ômega 3 – esses ácidos graxos, considerados gorduras essenciais, são importantes para o bom funcionamento do cérebro e podem estar em baixas concentrações em crianças autistas. A suplementação, neste caso, pode ajudar em aspectos como a interação social, comunicação e comportamento;
  • Probióticos – como já destacado anteriormente no texto, os probióticos (bactérias benéficas para a saúde intestinal) podem ser grandes aliados para melhorar o quadro destes pacientes. Eles podem ajudar no equilíbrio da microbiota intestinal, que pode estar em disbiose (desequilíbrio entre bactérias “boas” e “ruins” no intestino). Também são importantes na função do sistema imunológico. Crianças com autismo podem apresentar esse desequilíbrio de bactérias intestinais, o que pode contribuir para problemas gastrointestinais e comportamentais;
  • Vitamina B6 e Magnésio – não só a vitamina B6, como as do complexo B, de um modo geral, podem atuar de forma significativa na saúde mental.Em especial a Vitamina B6, junto ao Magnésio, é importante para a função dos neurotransmissores, o que pode contribuir na melhorar do comportamento e a comunicação em crianças com autismo. Um estudo publicado no Journal of Autism and Developmental Disorders aponta que a suplementação com vitamina B6 e magnésio melhorou a socialização, a comunicação e o comportamento em crianças com autismo.

Dentro deste cenário é necessário muito carinho e compreensão, sendo o papel do nutricionista, em conjunto com outros profissionais da saúde, de suma importância na orientação da família destas crianças, a fim de melhorar a qualidade de vida dos pacientes e da família como um todo.


Nutricionista
Viviana Navarro
Pós-graduada em Terapia Nutricional em Pediatria pela UFRJ e também com especialização em Modulação Intestinal. Atende crianças e adolescentes, com foco em reeducação alimentar, a fim de ajudar o paciente a mudar a relação com a comida, sem “terrorismo nutricional”. Também atua junto ao público adulto que visa melhorar performance e àqueles que buscam o emagrecimento.


@vivinavrro.nutri
vivinavarro.nutri@gmail.com
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Vitamina Geral

As vitaminas são compostos orgânicos essenciais para o bom funcionamento do organismo. A própria palavra já nos traz uma ideia em relação ao seu papel,

Leia Mais »

As Alergias e as crianças

Alérgeno é um termo geral usado para descrever algo que causa uma reação alérgica. Os alérgenos são proteínas minúsculas encontradas em certas substâncias. Alguns são

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!