Clique e acesse a edição digital

Telemedicina na Pediatria

Tempo de Leitura: 4 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Mother and daughter on a video call with doctor for a consult while staying at home. New normal lifestyle. Health care and medicine concept.

A telemedicina é uma modalidade de trabalho dentro da medicina que já existe há alguns anos e acabou se consolidando junto com a pandemia de covid. Ela é possível dentro da Pediatria e está totalmente regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina, respaldada em leis que garantem um atendimento de qualidade ao paciente e família com garantia de confidencialidade, orientação e respaldo que a consulta médica necessita.

Dentro do Código de Ética Médica temos um artigo que diz “compete ao médico aprimorar continuamente seus conhecimentos e usar o melhor do progresso científico em benefício do paciente” e com a telemedicina não é diferente. Ela possibilita o atendimento de forma ágil e com possibilidade de seguimento de pacientes de outras localidades, mesmo os que estão longe e tem dificuldade de comparecer presencialmente as consultas.

Não é de hoje que os pediatras estabelecem contatos, respondem dúvidas e fornecem orientações por aplicativos de mensagens como o WhatsApp. Muitas vezes pela proximidade e inevitável informalidade desses aplicativos, pais e responsáveis têm dificuldades em compreender quando é possível uma orientação e quando é indicado uma teleconsulta para o melhor cuidado com sua criança ou adolescente. Vamos ajudar a esclarecer:

Teleorientação segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria é a “avaliação remota do quadro clínico do paciente, para definição e direcionamento ao tipo adequado de assistência que necessita, sendo assim ela não deverá gerar conduta terapêutica, solicitação de exames complementares, atestados ou outros documentos médicos”.

Já na Teleconsulta há uma avaliação mais completa, com o histórico completo do paciente ou daquela situação, com possível troca de informações (clínicas, laboratoriais e de imagens) entre médico e paciente/família, com possibilidade de prescrição (receita), atestado e relatório médico, solicitação de exames, laudo e parecer técnico através do certificado digital.

A Telemedicina não é uma modalidade à parte, mas um complemento da Medicina, e deve ser utilizada com os mesmos cuidados e esmero do atendimento presencial, por isso a consulta excetuando-se pelo exame físico, é completa. Profissional e família/paciente devem estar preparados para esse momento, sendo importante algumas recomendações importantes:

  • Deve ser previamente agendada, mesmo que com alguns minutos de antecedência se for o caso, mas para seu preparo, gerar link, entre outros aspectos práticos, isso é importante
  • Garantir uma conexão com internet estável, dispositivo (tanto computador, quanto celular) com câmera e microfone funcionando adequadamente
  • Garantir um local calmo, silencioso, com boa iluminação e privacidade para a realização da consulta. Isso é fundamental.
  • Definir quem deve estar presente nesse ambiente – apenas quem precisa estar, deve estar!!! Sigilo das informações, garantia de privacidade para cuidar da sua saúde é muito importante
  • Estar munido ou até enviar previamente exames e receitas que você queira mostrar na consulta e sejam relevantes para seu caso
  • Organizar as informações que serão passadas para o médico, ajudam muito a consulta a transcorrer melhor e de forma mais ágil e proveitosa

Detalhe importante – se durante sua teleconsulta o médico notar a necessidade da sua criança ser examinada ou avaliada presencialmente por algum outro motivo para que seja construída a melhor conduta para seu caso, vocês serão informados e deverão então comparecer ao consultório para complementar sua consulta.

Apesar de poder ser utilizada em muitos casos, alguns perfis específicos dentro da Pediatria inviabilizam o uso da teleconsulta. Atendimentos de recém-nascidos ou mesmo as consultas de rotina dos primeiros meses de vida, onde é fundamental o exame físico e medidas da criança, casos de febre alta, desconforto respiratório ou quaisquer sinais de alerta para gravidade do caso, devem sempre ser avaliados presencialmente. Saber identificar a indicação da teleconsulta e fazer a melhor escolha nem sempre é fácil, por isso é importante ter o apoio do seu pediatra nessa escolha do melhor caminho a ser seguido. A Telemedicina representa uma nova forma de cuidar, que não substitui o atendimento presencial, mas é capaz de complementá-lo, além de oferecer inúmeras vantagens para médicos, pacientes e famílias em muitas situações. Ela vem como mais uma possibilidade de aproximar seres humanos e ampliar os aspectos mais importantes do cuidado na Medicina.

Dra. Daniela Vinhas Bertolini
Pediatra e Infectopediatra. Doutora em Pediatria pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Membro do Departamento de Infectologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo. Infectopediatra do Programa Estadual e Municipal de IST/Aids de São Paulo
 
@cuidarpediatria
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!