Clique e acesse a edição digital

Complexo de Édipo: veja como auxiliar seu filho a superar

Tempo de Leitura: 3 minutos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Studio shot of a mother playing with her child. Mom holds boy in her arms. Mom wears white t-shirt, and boy is dressed into jeans and white shirt. They are having fun.

O complexo de Édipo foi descrito e formulado por Sigmund Freud, o pai da psicanálise, no fim do século XIX. É um conceito que acontece na fase do desenvolvimento infantil entre três e cinco anos. Nele, a criança “disputa” com o genitor do mesmo sexo ao passo que sente atração pelo do sexo oposto.
A teoria do complexo de Freud se baseou na mitologia de Édipo Rei (Século V a. C.). Na tragédia grega, Jocasta e Laio tiveram um filho chamado Édipo, daí o nome dado ao complexo. Édipo mata o pai com a intenção de ficar com a mãe, que acaba se suicidando e ele próprio se automutila.

Desenvolvimento infantil e complexo de Édipo
O complexo de Édipo é dado como Universal por Freud, que considera isso parte do desenvolvimento infantil. Ele costuma se desenvolver quando as crianças iniciam a percepção sobre o ambiente a sua volta.
A intervenção dos pais neste momento é essencial para a criança. Eles também precisam entender que é natural que isso aconteça, pois o filho quer sentir que é especial e amado. É importante salientar que a preferência da criança por um dos pais não envolve conotação sexual, como no caso da mitologia.
Complexo de Édipo e intervenção dos pais
Quando as crianças passam dos três anos, é comum que os pais reduzam o tempo dedicado exclusivamente aos filhos. Este período marca a separação entre a criança e os pais, pois ela passa a perceber que não é mais o centro do mundo.
A percepção de que o pai e a mãe têm uma relação diferente da que compartilham com ela é dada como o desencadeador do complexo estudado por Freud. Como no caso dos meninos, o filho culpa internamente o pai por essa separação, ambicionando o amor e proteção total da mãe, assim como tinha no início da sua vida.
Ao perceberem essas atitudes da criança, os pais não devem reforçá-las. Pelo contrário. Os pais têm de mostrar para os filhos quais os caminhos certos a seguirem.
É muito comum, na fase dos três anos, a criança querer dormir na mesma cama dos pais. O correto é conduzi-la para o quarto dela e jamais ceder à insistência. Segundo especialistas, a criança precisa entender que a mãe e o pai mantêm uma vida além da relação com ela.
Complexo reflete no desenvolvimento da criança
O complexo de Édipo é fundamental para que as crianças cresçam e tenham uma saúde emocional bem desenvolvida. É relacionado ao complexo, casos de pessoas que têm dificuldade de relação com o sexo oposto, por isso, a importância da intervenção dos pais em conter a necessidade de atenção da criança.
Freud afirma que esse complexo “mal resolvido” pode provocar consequências, como homossexualidade, dependência excessiva ao sexo feminino, comportamento submisso etc.
Em caso de meninos sem pai, Freud diz que ele vai querer ser como a mãe. Em biografias de vários assassinos em série, o complexo de Édipo é relatado frequentemente.
Cabe lembrar que, na atualidade, o complexo de Édipo não é tido como unanimidade entre os especialistas.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!